Todos os anos são registrados no País mais de um milhão de acidentes que provocam queimaduras. Com a proximidade das festas juninas esses números tendem a aumentar, uma vez que cresce o manuseio de fogos de artifício e outros tipos de explosivos. “Nos meses de junho e julho há um aumento considerável no número de vítimas de queimaduras de segundo e terceiro grau”, afirma Eduardo Mesquita, diretor do Hospital de Pronto Socorro 28 de Agosto, do Governo do Estado. No hospital funciona o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), único na Amazônia Ocidental e referência nesse tipo de atendimento.

“Nossa estrutura é moderna e nossas equipes especializadas para dar o melhor atendimento às vítimas de queimaduras, com alto padrão médico-hospitalar e em conformidade com as normas do Ministério da Saúde”, destaca Eduardo Mesquita. O diretor aproveita o Dia Nacional do Luta contra Queimaduras, que é lembrado nesta quinta-feira (6), para reforçar a necessidade de prevenção contra acidentes que causam esse tipo de ferimento, que em alguns casos, podem levar à morte.

Uma em cada dez pessoas que manipulam fogos de artifício é vítima de queimaduras, lesões nos olhos, surdez e até amputações. O diretor adverte que a imprudência e a falta de informação são, ainda, as causas desses acidentes. Segundo o médico, o mais prudente seria que apenas profissionais habilitados fizessem o manuseio de fogos de artifício.

Estrutura – O CTQ está apto a atender vítimas de explosões, de queimaduras domésticas, de descargas elétricas, de produtos inflamáveis e até acidentes aéreos. Com uma equipe multiprofissional exclusiva, composta por cirurgiões plásticos, médicos intensivistas, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos e nutricionistas, o CTQ funciona num espaço exclusivo e independente dentro da estrutura do HPS 28 de Agosto. O centro possui 2 leitos de terapia intensiva e 3 enfermarias com 6 leitos cada, totalizando 20 leitos destinados apenas às vítimas de queimaduras. Somente no ano de 2018, o Centro de Tratamento de Queimados do HPS 28 de Agosto atendeu 680 pacientes, em 2019 até o mês de maio foram 266 vítimas de queimaduras.

Um diferencial do CTQ do HPS 28 de Agosto, conforme explica o diretor da unidade, são as técnicas de reabilitação, como a cinesioterapia (terapia pelo movimento), que têm a finalidade de diminuir o grau de sequelas. “É pioneiro na Amazônia Ocidental”, ressalta. A cinesioterapia, considerada uma das etapas mais importantes do tratamento, os queimados são submetidos a exercícios físicos específicos, destinados a prevenir, eliminar ou diminuir sequelas.

Dicas de prevenção e cuidados:

. Em casos de acidentes domésticos com líquidos quentes: esfriar a área afetada com água limpa (gelada ou corrente). Nunca colocar sobre a queimadura pasta de dente, borra de café, manteiga ou qualquer outro tipo de produto que não tenha sido indicado pelo médico;

. Acidentes com explosivos: proteger a área atingida com um pano limpo. Em caso de mutilação, elevar o membro atingido, para diminuir a hemorragia;

. Em caso de fogo na roupa: a chama deve ser apagada com uma toalha molhada; não tente retirar os pedaços de tecido grudados na pele.

. Evite tocar no ferimento da queimadura; nunca fure as bolhas; não cubra a queimadura com algodão.

FOTO: VALDO LEÃO/ARQUIVO/SECOM