Em busca de soluções integradas para minimizar os impactos da mobilização dos caminhoneiros, a Secretaria Executiva Adjunta de Gestão e Planejamento Integrado (Seagi), da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), promoveu, nesta terça-feira (29/05), a segunda reunião deliberativa entre órgãos de segurança, saúde e educação das esferas estadual, municipal e federal e representantes de caminhoneiros e empresas revendedoras de gás. No encontro, os representantes do movimento paredista afirmaram que a mobilização está encerrada no Amazonas.

A reunião aconteceu no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), localizado no Aleixo, zona centro-sul de Manaus. Segundo o titular da Seagi, coronel Fábio Pacheco, ao longo do período de mobilização, houve o acompanhamento junto aos órgãos do governo estadual e da prefeitura e os representantes do movimento, visando a normalização dos serviços básicos na cidade de Manaus e municípios do interior do Estado.

Segundo o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos (Sindaceam), Sérgio Alexandre da Silva, as reivindicações da categoria foram atendidas no âmbito do Estado do Amazonas. Com isso, não haverá mais manifestações por parte do Sindicato. “Caso algum fato desta natureza ocorra, o Sindaceam atuará de forma a coibir”, relatou Sérgio Alexandre.

Abastecimento de gás normalizado – Durante a reunião, o presidente da Federação das Empresas revendedoras de gás liquefeito de petróleo do Estado do Amazonas (Fegás), Fernando Feitosa, declarou que o abastecimento de gás de cozinha está normalizado na capital e no interior. A categoria também havia aderido à mobilização contra o aumento dos combustíveis e a política de preços adotada pelo governo federal com a Petrobrás.

Colegiado amplo – Desde a eclosão do movimento de caminhoneiros, o CICC está trabalhando no acompanhamento e articulação dos agentes públicos e manifestantes. Na semana passada, foi a partir da reunião que o governo estadual garantiu o abastecimento das frotas do transporte coletivo e dos órgãos estadual e municipal de segurança e saúde, em negociação com os representantes do movimento.

Participaram nesta terça-feira, a Agência Brasileira de Inteligência, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria Estadual de Educação, Ouvidoria do Sistema de Segurança Pública, Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência, Casa Militar Municipal, Manaustrans e Semsa.

O coordenador de Planejamento e Gestão Integrada da Seagi, coronel Fábio Pacheco, ressalta que a integração entre os órgãos e os representantes de classes foi o caminho vitorioso para a resolução da crise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here