Centro Integrado de Operações de Segurança recebeu nos meses de Julho e Agosto 3.223 trotes

O Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS) registrou, nos meses de Julho e Agosto deste ano, 3.223 trotes recebidos pelos canais de atendimento de serviços emergenciais 190 e 193. Deste total, 90% são ligações de crianças ou pessoas com deficiência utilizando aparelhos celulares ou telefones públicos (orelhões). Os dados foram obtidos por meio da nova plataforma de controle do órgão, que facilita a identificação dos autores e vai subsidiar a implantação de medidas de combate ao crime.

Dos 3.223 trotes recebidos, 1.976 foram registrados no mês de Julho e 1.247 no mês de Agosto. Deste número, 48,50% são ligações feitas no período vespertino. A partir da implantação do Sistema de Aplicativo e Chamadas de Emergência (SACE), o Ciops passou a identificar os números telefônicos com maior incidência de trotes para o 190 e 193. A primeira medida adotada é educativa. Controladores que fazem o atendimento estão retornando as ligações para orientações. Dentre os 30 telefones ‘campeões’ em ligações, 20 são números de telefones celulares.

“A partir da identificação do número, estamos fazendo contato com os responsáveis para orientá-los e informá-los do que está acontecendo, ou seja, que aquele número está sendo utilizado para trotes. Além disso, indicamos às pessoas que elas poderão ser responsabilizadas criminalmente pelo acionamento irregular dos órgãos de segurança pública”, informou o coordenador do Ciops, major da Polícia Militar, Eduardo Silva.

Segundo Eduardo Silva, em caso de reincidência dos trotes serão adotadas as medidas judiciais cabíveis e, em casos extremos, haverá o bloqueio das chamadas pela Central de Controle do Ciops.

A prática de trotes não é tipificada como crime pela legislação brasileira. No entanto, o artigo 340 do Código Penal diz que “comunicar informação falsa de crime é punido com multa e até seis meses de detenção”. Já o artigo 266 diz que “interromper serviço telegráfico dá multa e até três anos de prisão”.

Plataforma de atendimento

O SACE é um software desenvolvido pelo setor de tecnologia da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) que permitiu a ampliação do controle sobre o atendimento de ocorrências e melhorou o repasse de informações para os policiais nas ruas

Entre outras vantagens, o software possibilita o registro da localização das ocorrências, uma diminuição do tempo de resposta às denúncias, além de um módulo de análise criminal que computa os dados de todas as ocorrências recebidas, permitindo um mapeamento dos índices de crimes, subsidiando as ações policiais.