Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Cheia do rio Negro avança no centro de Manaus

A Prefeitura de Manaus inicia nesta segunda-feira (17), a construção de pontes de madeira, no trecho da avenida Eduardo Ribeiro – na área da praça do Relógio municipal, Centro, viabilizando a circulação na via, comprometida pela cheia do rio Negro. Neste domingo, 16, o prefeito de Manaus, David Almeida, conferiu o avanço do rio Negro, nas ruas do Centro. Além de anunciar as medidas para a região, ele também comentou sobre as demais ações que o Executivo municipal vem executando, para auxiliar as famílias atingidas pela enchente.

“Nesta segunda-feira iniciaremos a construção de barreiras de contenção, com areia e concreto, nas áreas atingidas pela cheia, no Centro, para assegurar uma condição mínima possível de circulação ao comércio local, para que continuem com as suas atividades”, informou.

O prefeito também confirmou a distribuição ao longo da semana, de cestas básicas, kits de higiene e de dormitórios, às famílias dos 15 bairros atingidos pela cheia do rio Negro, assim como a construção de pontes e marombas nas áreas inundadas.

Auxílio Enchente

O envido da mensagem do Executivo municipal, solicitando o reajuste no valor do Auxílio Aluguel de R$ 300, para R$ 500 – beneficiando mais de 3 mil famílias atingidas pela cheia do rio Negro, este ano na capital amazonense – também foi confirmado para esta segunda-feira, 17, à Câmara Municipal de Manaus (CMM), pelo prefeito David Almeida.

“Nós temos o Auxílio Aluguel de R$ 300, e vamos complementar com mais R$ 200 do Auxílio Enchente, para aquelas famílias que já estão com as suas casas afetadas, que elas possam sair e alugar um local mais digno para viver”, observou.

Monitoramento

Conforme o monitoramento hidrológico do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), a cheia de 2021, deverá ser a quinta maior já registrada em Manaus. Na última sexta-feira, 14, o rio Negro registrou a cota de 29, 64 metros. A marca se aproxima da última grande cheia registrada na capital, em 2012, quando o nível do rio Negro atingiu os 29, 78 metros. Os estudos do CPRM dando conta de que a cheia deste ano deverá chegar aos 30,25 metros.

Texto – Síntia Maciel / Semcom
Foto – João Viana / Semcom

-publicidade-