Cinco violam tornozeleiras eletrônicas e são presos na terceira fase da Operação Rastreamento

Cinco presos monitorados por tornozeleiras eletrônicas e que violaram o equipamento foram recapturados nesta quarta-feira (31/10) durante a terceira fase da Operação Rastreamento da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (SEAOP). Desde as primeiras horas da manhã, a operação cumpriu os mandados em Manaus. Os detentos recapturados voltam ao sistema prisional no regime fechado.

Nas três fases da operação, a SEAOP contabiliza 24 prisões. As ações tiveram início no começo do mês de outubro pelo secretário de segurança, Coronel Amadeu Soares. A operação é realizada em parceria com as Polícias Civil, Militar, Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e o Ministério Público do Estado.

O titular da SEAOP, delegado da Polícia Civil Guilherme Torres, ressaltou que o resultado das operações está sendo positivo tendo em vista que os detentos com tornozeleiras violadas estão procurando o sistema prisional para regularizar a situação. “Constatamos também o resultado profilático dessa ação em razão de que tínhamos em mãos 24 mandados de prisão e cumprimos apenas cinco. Os demais, com a repercussão das duas operações, começaram a procurar o sistema prisional e a justiça de modo a regularizar sua situação”, disse.

PRESOS – Michael Amorim da Silva, 34, responde pelo crime de roubo e foi preso no Centro de Manaus, zona centro-sul. Marcelo Ulisses da Silva, 36, responde pelo crime de homicídio e foi preso no bairro de Petrópolis, zona sul. David Tenório Pontes, 19, responde pelo crime de roubo e foi preso no bairro Alfredo Nascimento, zona norte. Edivaldo Silva do Nascimento, 37, responde pelo crime de homicídio e foi preso no bairro Santa Etelvina, zona norte. Leandro Cavalcante Corrêa, 28, responde pelo crime de tráfico de drogas e foi preso no bairro Nova Cidade, zona norte.

OPERAÇÕES – No dia 11 de outubro, na primeira fase da operação Rastreamento, 14 detentos do semiaberto foram presos por violarem as tornozeleiras eletrônicas. No dia 22 de outubro, a operação prendeu sete detentos em diversas zonas da capital. A população também pode contribuir com o trabalho da polícia. Por meio número 181, a sociedade pode fazer denúncias anônimas que serão investigadas pela Secretaria Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai) e pela Polícia Civil.