Cmei promo de Mostra de Livros Infantis

“Quem conta um conto encanta” esse foi o tema da 10ª Mostra de Livros Infantis realizada, nesta sexta-feira, 19/10, pelo Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Renata Holanda, no Jorge Teixeira, zona Leste de Manaus. A mostra teve por objetivo incentivar nas crianças o gosto pela leitura, utilizando como via principal o conto de histórias infantis, a fim de desenvolver a oralidade, a comunicação, o raciocínio, a expressão corporal e artística; visando, ainda, a construção de uma aprendizagem prazerosa e significativa.

A unidade infantil atende 485 alunos de 4 e 5 anos nas turmas de 1º e 2º períodos. Cada aluno produziu o próprio livro baseado nas histórias contadas pelas professoras. A divisão foi feita por turma com os contos infantis da Branca de Neve e Os Sete Anões, Chapeuzinho Vermelho, A Galinha Ruiva, O Leão e o Rato, Pog e os Passarinhos, A Borboleta Azul, Os Três Porquinhos, Menina Bonita do Laço de Fita, e A Formiga e a Cigarra. As histórias foram recriadas com base no entendimento de cada criança.

De acordo com a professora do 1º período, Suely de Sales, nessa fase a leitura da criança acontece pela oralidade e o professor tem um papel importante na construção de um futuro leitor. Nesta turma, o conto foi a Branca de Neve e Os Sete Anões.

“Hoje, eu percebo uma grande mudança nessas crianças, estão adaptadas à leitura oral, elas ouvem atentamente todas as histórias que são contadas, depois passam para o papel o que entenderam”.

O projeto criado em 2008 trabalha a leitura durante todo o ano letivo com as crianças e finaliza com uma grande festa, em que os autores mirins autografam as suas obras e entregam para os pais ou responsáveis.

“Hoje é um dia de festa para essas crianças que se dedicaram tanto na produção dos livrinhos. A leitura começa na Educação Infantil. É nessa fase que o prazer pela leitura deve ser estimulado”.

Os pais e familiares participaram do evento e receberam as obras que os filhos criaram. A dona de casa, Nivea Maria Alcobaça, mãe da pequena Nataly, 5 anos, do 1º período, disse estar muito orgulhosa com o desempenho da filha.

Texto: Érica Marinho / Semed