Amazonas Notícias

Com 40% das vagas para cidades da Amazônia Legal, Laboratório Urbano de Políticas Públicas Alimentares está com inscrições abertas

Foto: Juliana Rossi

Com objetivo de apoiar as cidades a desenvolverem e aperfeiçoarem sua rota para a construção da Política de Segurança Alimentar e Nutricional, nasceu o Laboratório Urbano de Políticas Públicas Alimentares (LUPPA), idealizado pelo Instituto Comida do Amanhã e correalizado com o ICLEI América do Sul.

Ao entrar no Laboratório, as cidades vivem uma jornada para desenvolver suas estratégias alimentares de forma integrada, participativa, alinhadas com os desafios globais e as necessidades e possibilidades locais.

Até o dia 17 de julho, o LUPPA está com as inscrições abertas e selecionará 10 novas cidades para participar de um ciclo de 1 ano no Laboratório, sendo que 40% dessas 10 vagas serão destinadas para cidades da Amazônia Legal, com foco em valorizar a diversidade territorial e buscar cidades de todos os biomas brasileiros.

Para Francine Xavier, Diretora do Instituto Comida do Amanhã, a Amazônia Legal enfrenta um enorme desafio de preservar sua magnífica sociobiodiversidade, fundamental para frear as mudanças climáticas no planeta, ao mesmo tempo que combate elevados índices de insegurança alimentar e nutricional, desigualdade e injustiça ambiental. “Acreditamos que o debate e a construção de políticas alimentares inovadoras e com visão sistêmica, apoiarão no enfrentamento das questões locais com excelentes resultados para região e para o planeta”, pontuou.

O Secretário Executivo do ICLEI América do Sul, Rodrigo Perpétuo, reforça que a alocação de 40% das vagas para cidades da Amazônia Legal é um reconhecimento sobre o contexto único e a importância da região para o planeta. “Ao fornecer uma porcentagem significativa de vagas para essas cidades, o projeto visa promover a participação local, capacitar as comunidades e alavancar seus conhecimentos e experiências. Essa abordagem direcionada permitirá que o LUPPA tenha um impacto mais significativo sobre os sistemas alimentares sustentáveis na Amazônia Legal, contribuindo para a preservação ambiental e o desenvolvimento socioeconômico da região.”

Para integrar a comunidade LUPPA as cidades devem ter até 1,5 milhão de habitantes e enviar uma carta de compromisso assinada por seus prefeitos ou vice-prefeitos demonstrando o seu comprometimento de desenvolver a Política, planos e projetos de sistemas alimentares até o final da sua gestão. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo site: bit.ly/editalcidades_luppa3

Sobre o LUPPA:

O LUPPA é um projeto do Instituto Comida do Amanhã, em correalização com o ICLEI América do Sul, com o apoio pleno do Instituto Ibirapitanga e do ICS – Instituto Clima e Sociedade, apoio master da Fundação Tide Setubal, apoio especial da Delegação da União Europeia no Brasil, Embrapa e do WWF Brasil e apoio institucional da ACT Promoção da Saúde, Alimentação Consciente Brasil, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura – FAO Brasil e Humane Society International e parceria metodológica da Reos Partners.

Foto: Juliana Rossi

Relacioandos