Take a fresh look at your lifestyle.

Com transmissão de aulas para todo o interior, Governo do Amazonas dá início ao ano letivo do Centro de Mídias de Educação

-publicidade-

Nesta terça-feira, 1º de março, o Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) dará início ao ano letivo de 2016 de seu Centro de Mídias de Educação.

A tecnologia é a ferramenta utilizada pelo Governo do Amazonas para encurtar distâncias e levar educação aos lugares longínquos do maior estado brasileiro. Com o projeto “Ensino Presencial com Mediação Tecnológica”, do Centro de Mídias da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), 48 mil estudantes de três mil comunidades rurais em todos os 62 municípios do Amazonas estão tendo acesso ao ensino médio, ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

As aulas são ministradas de sete estúdios de televisão localizados no Centro de Mídias, em Manaus, em formato de teleconferência. Até então, o ensino médio (e em alguns casos também o ensino fundamental) nunca havia sido ofertado para essas comunidades, o que forçava o estudante a sair do local em que morava para continuar os estudos nas sedes dos municípios ou na capital do Estado.

Nas comunidades rurais atendidas, cada uma das salas de aula está equipada com um kit tecnológico composto por Antena VSAT bidirecional, roteador-receptor de satélite, cabeamento estruturado (LAN), microcomputador, webcam com microfone embutido, TV LCD 37 polegadas, impressora a laser e no break. A tecnologia permite que professores e alunos interajam como se ambos estivessem no mesmo espaço físico.

O projeto é pioneiro no País. Implantado em julho de 2007, o “Ensino Médio Presencial com Mediação Tecnológica” foi ampliado para atender a demanda daquele ano e vem sendo ampliado anualmente.

Aulas via satélite

O Centro de Mídias de Educação do Amazonas está localizado no bairro do Japiim (zona centro-sul de Manaus) em prédio anexo à Seduc. O Centro é equipado com estúdios de TV de onde uma equipe de professores (especialistas, mestres e doutores) ministra as aulas que são transmitidas via satélite e acompanhadas pelas comunidades rurais amazonenses.

Para que os estudantes tenham acesso às aulas ministradas a partir do Centro de Mídias, o Governo do Estado contratou serviço especializado de comunicação via satélite nas comunidades rurais em que há o projeto.

O conteúdo das dez disciplinas é ministrado em módulos e a carga horária é a mesma do Ensino padrão, com 800 horas/aula anuais, conforme prevê a Lei 9.394/96, de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

Acompanhamento
Nas comunidades rurais, os alunos assistem diariamente às aulas ministradas a partir do Centro de Mídias e também são acompanhados, nas salas de aulas, por professores previamente capacitados para o projeto. Existe a figura do professor presencial, que aplica as provas elaboradas pelo professor que ministra a aula a partir do estúdio. Este professor do estúdio realiza a correção da prova on-line, comentando as questões aplicadas nos exames.

A estrutura curricular tem como norteadores os princípios da contextualização e da interdisciplinaridade, que tornam possível vincular a educação ao mundo do trabalho e à prática social.

Os conteúdos são tratados como meios para a constituição de competências e valores, privilegiando efetivas ações mentais no decorrer do curso, possibilitando que o estudante desenvolva a sensibilidade para identificar as relações existentes entre os conteúdos e as situações de aprendizagem com os contextos social e individual.

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (2002), os componentes curriculares estão dispostos em áreas de conhecimento, oportunizando o aluno a adquirir as competências e habilidades necessárias à vida cotidiana.

Cabe destacar, que no ano de 2013 foi iniciada a oferta do ensino na modalidade Educação para Jovens e Adultos (EJA), que progressivamente vem sendo ampliado pela oferta das novas etapas e desta forma ampliando o atendimento. Em 2013 foram ofertadas a 2ª etapa (que equivalem ao 2º e 3º anos) e 3ª etapa (que equivalem ao 4º e 5º ano) para pouco mais de 1.000 alunos. Em 2015 já estão sendo ofertadas também a 4ª etapa (6º e 7º ano) e 5ª etapa (8º e 9º ano) ultrapassando 2.500 alunos.

O impacto social resultante do projeto, assim como sua abrangência e caráter inovador, conferiu ao Centro de Mídias de Educação uma trajetória prêmios em âmbito nacional e internacional, tendo recebido por quatro vezes a premiação e-Learning Brasil (2008/2009/2010/2011); um prêmio de Inclusão Digital, na categoria especial educação da Revista A Rede (2009); um prêmio como Tecnologia Social, da Fundação Banco do Brasil (2011); um prêmio de referência nacional do Prêmio Learning & Performance Brasil (2012/2013/2014). Além de três prêmios internacionais, sendo dois na Espanha e um no Qatar (2009), todos na área de inovação tecnológica na educação.

De acordo com o secretário de Estado de Educação, Rossieli Soares da Silva, com o Centro de Mídias, que é um projeto reconhecido nacional e internacionalmente, a educação no Amazonas tem crescido significativamente. “Com o Centro de Mídias, temos levado educação de qualidade para comunidades longínquas dos 62 municípios do Estado. Em mais um ano letivo que se inicia, iremos aperfeiçoar o trabalho que já vem sendo realizado, a fim de que possamos melhorar cada vez mais os índices educacionais do Amazonas”, afirmou o secretário Rossieli Silva.

-publicidade-