As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Comércio do Amazonas cai 14,6% em abril e acumulado está no vermelho

O comércio do Amazonas, em abril, continuou caindo. Dessa vez, a queda de 14,6% promoveu uma revirada no desempenho acumulado no ano, que até o mês passado estava positivo. A média móvel trimestral mostra desempenho negativo em todos os indicadores. Já quedas registradas no volume de vendas e na receita nominal, indicam um momento delicado para a atividade, que em dois meses perdeu quase todo bom desempenho acumulado anteriormente. O indicativo é que maio não traga bons números. Uma vez que a restrições impostas pelo isolamento social continuaram durante aquele mês.

 

 

Período Varejo Varejo Ampliado
Volume de vendas Receita nominal Volume de vendas Receita nominal
Abril/Março* -14,6 -14,4 -22 -21,1
Média móvel trimestral* -9,2 -8,8 -12,4 -11,5
Abril 2020 / Abril 2019 -21,6 -15,7 -32 -26,8
Acumulado 2020 -0,9 6,3 -5,2 0,1
Acumulado 12 meses 7,5 12,2 3,6 7,7
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria
*Série COM ajuste sazonal

Em abril, o volume de vendas do comércio varejista amazonense caiu -14,6%, frente a março na série com ajuste sazonal. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o comércio varejista no Amazonas reduziu -21,6%. No acumulado do ano, o setor apresentou queda de -0,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já no acumulado dos últimos doze meses, o indicador reduziu para 7,5%, já que em março estava em 9,8%.

Variável – Índice de volume de vendas no comércio varejista (%)
Tipos de índice Brasil e Unidade da Federação x Mês
Brasil Amazonas
fev/20 mar/20 abr/20 fev/20 mar/20 abr/20
Variação mês / mês anterior com ajuste sazonal 0,5 -2,1 -16,8 3,5 -16,4 -14,6
Variação mensal (base: igual mês do ano anterior) 4,7 -1,1 -16,8 13,5 -5,5 -21,6
Variação acumulada no ano (base: igual período do ano anterior) 3 1,6 -3 12,2 6 -0,9
Variação acumulada de 12 meses 1,9 2,2 0,7 10,2 9,8 7,5

A variação percentual, que compara o volume de vendas do mês atual com o mês anterior, de -14,6% obtida no mês de abril, colocou o comércio varejista do Estado do Amazonas na posição intermediária entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos ficaram por conta de: Amapá com -33,7%, Rondônia com -21,8% e Ceará com -20,2%. E os melhores desempenhos ficaram por conta de: Santa Catarina com -4,3%, Tocantins com -8,9% e Roraima com -8,9%. No entanto, todas os Estados tiveram queda em abril.

Variável – Índice de volume de vendas no comércio varejista (%)
Tipos de índice – Variação mês / mês anterior com ajuste sazonal
Mês – abril 2020
# Unidade da Federação  
1 Santa Catarina -4,3
2 Tocantins -8,9
3 Roraima -8,9
4 Rio Grande do Norte -11,6
5 Pará -11,8
6 Maranhão -11,9
7 Mato Grosso do Sul -12,2
8 Rio Grande do Sul -13,1
9 Minas Gerais -14,3
10 Mato Grosso -14,4
11 Acre -14,4
12 Amazonas -14,6
13 Paraná -14,9
14 Rio de Janeiro -15,5
15 Goiás -15,8
16 Distrito Federal -16,6
17 Pernambuco -16,6
18 Bahia -17,4
19 Sergipe -17,4
20 Paraíba -17,7
21 Espírito Santo -17,9
22 Piauí -18,2
23 Alagoas -19,4
24 São Paulo -20,2
25 Ceará -20,2
26 Rondônia -21,8
27 Amapá -33,7

A variação percentual acumulada no ano, que compara o volume de vendas do período atual com o mesmo período do ano anterior, de -0,9%, obtida no mês de abril/20, colocou o comércio varejista do Estado do Amazonas na posição intermediária entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos ficaram por conta de: Rondônia com -16,4%, Ceará com -14,1% e Amapá com -11,6%. E os melhores desempenhos ficaram por conta de: Tocantins com 2,0%, Mato Grosso com 1,0% e Paraíba com 0,9%.

Variável – Índice de volume de vendas no comércio varejista (%)
Tipos de índice – Variação acumulada no ano (base: igual período do ano anterior)
Mês – abril 2020
# Unidade da Federação  
1 Tocantins 2,0
2 Mato Grosso 1,0
3 Paraíba 0,9
6 Amazonas -0,9
25 Amapá -11,6
26 Ceará -14,1
27 Rondônia -16,4

Em abril, a receita nominal de vendas do comércio varejista amazonense caiu -14,4%, frente a março na série com ajuste sazonal. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a receita do comércio varejista no Amazonas declinou -15,7%. No acumulado do ano, o setor apresentou 6,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já no acumulado dos últimos doze meses, o indicador reduziu para 12,2%, depois de 14,3% no mês de março.

Variável – Índice de receita nominal de vendas no comércio varejista (%)
Tipos de índice Brasil e Unidade da Federação x Mês  
Brasil Amazonas  
fev/20 mar/20 abr/20 fev/20 mar/20 abr/20  
Variação mês / mês anterior com ajuste sazonal 0,6 -1,0 -17,0 2,8 -14,7 -14,4  
Variação mensal (base: igual mês do ano anterior) 8,7 2,7 -13,7 21,3 1,7 -15,7  
Variação acumulada no ano (base: igual período do ano anterior) 7,1 5,6 0,7 20,3 13,7 6,3  
Variação acumulada de 12 meses 5,1 5,3 3,6 14,2 14,3 12,2  

A variação percentual, que compara a receita nominal do mês atual com o mês anterior, de -14,4% obtida no mês de abril, colocou o comércio varejista do Estado do Amazonas na posição intermediária entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos ficaram por conta de: Amapá com -31,4%, Rondônia com -21,7% e Distrito Federal com -19,5%. E os melhores desempenhos ficaram por conta de: Roraima com -8,6%, Santa Catarina com -9,2% e Tocantins com -10,0%.

Variável – Índice de receita nominal de vendas no comércio varejista (%)
Tipos de índice – Variação mês / mês anterior com ajuste sazonal
Mês – abril 2020
# Unidade da Federação    
1 Roraima -8,6  
2 Santa Catarina -9,2  
3 Tocantins -10  
11 Amazonas -14,4  
25 Distrito Federal -19,5  
26 Rondônia -21,7  
27 Amapá -31,4  

A variação percentual acumulada no ano, que compara a receita nominal de vendas do período atual com o mesmo mês do ano anterior, de 6,3% obtida no mês de abril 2020 colocou o comércio varejista do Estado do Amazonas na primeira posição entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos ficaram por conta de: Rondônia com -12,8%, Ceará com -9,8% e Amapá com -7,7%. E os melhores desempenhos ficaram por conta de: Amazonas com 6,3%, Tocantins com 5,2% e Mato Grosso com 5,0%.

Variável – Índice de receita nominal de vendas no comércio varejista (%)
Tipos de índice – Variação acumulada no ano (base: igual período do ano anterior)
Mês – abril 2020
# Unidade da Federação    
1 Amazonas 6,3  
2 Tocantins 5,2  
3 Mato Grosso 5,0  
25 Amapá -7,7  
26 Ceará -9,8  
27 Rondônia -12,8  

Em 04/20, o volume de vendas do comércio varejista ampliado amazonense caiu -22,0%, frente a 03/20 na série com ajuste sazonal. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o comércio varejista ampliado no Amazonas reduziu -32,0%. No acumulado do ano, o setor apresentou queda de -5,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já no acumulado dos últimos doze meses, o indicador foi para 3,6%.

Variável – Índice de volume de vendas no comércio varejista ampliado (%)
Tipos de índice Brasil e Unidade da Federação x Mês
Brasil Amazonas
fev/20 mar/20 abr/20 fev/20 mar/20 abr/20
Variação mês / mês anterior com ajuste sazonal 0,5 -13,7 -17,5 0,7 -16 -22
Variação mensal (base: igual mês do ano anterior) 3 -6,4 -27,1 9,2 -7,3 -32
Variação acumulada no ano (base: igual período do ano anterior) 3,2 0 -6,9 9,5 3,8 -5,2
Variação acumulada de 12 meses 3,5 3,3 0,8 7,2 6,6 3,6

A variação percentual, que compara o volume de vendas do comércio varejista ampliado do mês atual com o mês anterior, de -22,0% obtida no mês de abril de 2020, colocou o comércio varejista do Estado do Amazonas na posição intermediária entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos ficaram por conta de: Amapá com -31,6%, Espírito Santo com -23,4% e São Paulo com -23,3%. E os melhores desempenhos ficaram por conta de: Santa Catarina com -2%, Mato Grosso com -4,9% e Roraima com -4,9%.

Variável – Índice de volume de vendas no comércio varejista ampliado (%)
Tipos de índice – Variação mês / mês anterior com ajuste sazonal
Mês – abril 2020
# Unidade da Federação  
1 Santa Catarina -1,9
2 Mato Grosso -4,9
3 Roraima -4,9
4 Mato Grosso do Sul -5,5
5 Maranhão -6,6
6 Tocantins -7,5
7 Sergipe -8,5
8 Rio Grande do Sul -9,1
9 Acre -10,8
10 Distrito Federal -14
11 Rio Grande do Norte -14
12 Paraná -14,3
13 Minas Gerais -14,7
14 Bahia -16,5
15 Pará -17,2
16 Paraíba -17,7
17 Rondônia -18,6
18 Rio de Janeiro -18,9
19 Pernambuco -19,3
20 Goiás -19,5
21 Alagoas -19,6
22 Piauí -22
23 Amazonas -22
24 Ceará -23
25 São Paulo -23,3
26 Espírito Santo -23,4
27 Amapá -31,6