Dezesseis bares e botecos de Manaus estão participando, este ano, da 20ª edição do concurso Comida di Buteco 2019. A disputa iniciou no dia 12/4 e seguirá até o dia 5/5, simultaneamente, em 21 cidades do país. Na capital amazonense, o concurso conta com o apoio da Prefeitura de Manaus.

Os botecos que participam do concurso Comida di Buteco são selecionados com um ano de antecedência pela equipe do concurso. Em Manaus estão participando: Bambu Bar, Borogodó, Boteco do Nunes, Botteco Videokê, Buteco do Parque 10, Casa do Pensador, Churrasquinho das Torres, Churrasquinho do Wilson, Espetus Du Manu, Frankfurt, Galvez Botequim, Monique Bar, Quiosque Beer, Saideira Videokê, Taberna 88 e Tambaqui no Ponto.

“A cultura está diretamente ligada à gastronomia porque é uma das coisas mais fortes para qualquer região, qualquer sociedade, seja em âmbito regional ou nacional. O que ela come? O que ela cultiva? É um patrimônio cultural e isso nós sempre entendemos como vetor de desenvolvimento de negócios familiares e da cozinha raiz, que são os botecos”, afirmou o coordenador do Comida di Buteco em Manaus, Elmo Santos.

Em 2018, os 600 estabelecimentos participantes identificaram a presença de mais de 6 milhões de pessoas durante o período do concurso, gerando um montante de 6,5 mil empregos diretos, de acordo com dados da organização. Ao todo, mais de 445 mil petiscos foram servidos.

“O ‘buteco’ uma expressão cultural nacional, que também possibilita, independentemente de qualquer lugar do país, a regionalização. Em Manaus, as comidas com peixe são muito fortes, é muito diferente, por exemplo, do Centro-Oeste, que tem a questão do gado, das comidas do cerrado. E a força disso está representada nos números do ano passado. Do total de mais ou menos 630 mil pessoas, 90 mil eram turistas, o que ressaltou para a gente o papel transformador não só para o bar, mas para a cidade, como potencializador do turismo”, disse Elmo Santos.

Para o diretor de Turismo da Manauscult, João Araújo, a valorização do potencial gastronômico regional proporcionado pelo concurso vem ao encontro da política já adotada pela Prefeitura de Manaus em seus eventos. “O produto gastronômico regional está presente em eventos realizados pela prefeitura como o Festival Folclórico e o Passo a Paço, que ganham cada vez mais visibilidade e promovem Manaus como roteiro turístico privilegiado na região Norte do país, como nos orienta o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto”, afirmou.

Cardápio

No cardápio do Comida di Buteco, combinações de ingredientes amazônicos formam sofisticados petiscos com pães, carnes, peixes, molhos e temperos locais. O Tambaqui no Ponto, que em 2018 ficou em terceiro lugar no concurso, volta à disputa com o “Acarajé Amazônico”, inspirado no popular quitute baiano, que ganha uma versão com massa de tambaqui e camarões frescos. Já a Casa do Pensador apresenta a “Isca de Pirarucu” acompanhada de batata temperada e molho rosé.

Em busca do tetracampeonato, o Quiosque Beer retorna à disputa com o “Quánana”, chips de banana coberto com filé de pato desfiado acrescido de jambu, regado com calda de laranja. Em 2018, o estabelecimento levou o título de campeão com o “Pira-Punha”, uma cumbuquinha de pupunha em formato de um olho, que remete ao fruto do guaraná recheado com pirarucu, acompanhado de creme de guaraná em pó e molho de pimenta jiquitaia.

Durante o concurso, além dos petiscos, público e júri dão nota de 1 a 10 para quatro quesitos: higiene, atendimento e temperatura da bebida. O peso do júri e do público na apuração é de 50% cada. Com democracia, diversão e muito paladar, é eleito o melhor “buteco” de cada cidade e do país. Os votos físicos são recolhidos e apurados por uma empresa de pesquisa independente e especializada.

Após os 21 vencedores de cada cidade serem revelados, eles serão visitados por um júri extra e, em julho, será eleito o melhor boteco do país.

A lista completa de participantes está disponível no site Comida di Buteco, pelo link http://www.comidadibuteco.com.br/manaus/.

Texto: Mônica Figueiredo / Manauscult

Foto: Leonardo Leão / Manauscult e Divulgação