Take a fresh look at your lifestyle.

Comissão de Defesa do Consumidor cobra na Justiça cumprimento de liminar que suspende cortes de luz por inadimplência no Amazonas

Amazonas Energia informa que não foi oficialmente cientificada sobre o tema

-publicidade-

Em petição apresentada ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) nesta quinta-feira (1º), a Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (CDC/Aleam) requereu o cumprimento da decisão liminar, de 25 de setembro, que suspende os cortes de energia elétrica por inadimplência durante o período de estado de emergência na saúde no Amazonas devido à pandemia da Covid-19.

Conforme liminar do juiz da 6ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, Diógenes Vidal Pessoa Neto, a Amazonas Energia fica obrigada a cumprir as leis estaduais 5.143/20 e 5.145/20, de autoria do deputado estadual João Luiz (Republicanos), sob pena de multa de R$ 2 mil, por cada consumidor afetado, a título de danos morais coletivos. O valor deverá ser revertido ao Fundo de Defesa do Consumidor (Fundecon). As leis 5.143/20 e 5.145/20 proíbem os cortes de água, energia elétrica e gás por falta de pagamento no Amazonas, durante o período de contingência da Covid-19.

Na petição, segundo explicou João Luiz, que preside a CDC/Aleam, a Comissão solicita que a Amazonas Energia cumpra a decisão proferida e a legislação estadual vigente, além da aplicação imediata de multa pelas interrupções de serviços ocorridos nos últimos dias.

“Nos últimos dias, a Comissão tem recebido dezenas de denúncias de cortes de energia elétrica por falta de pagamento. Somado a isso, a imprensa local tem divulgado amplamente a ação da Amazonas Energia, que tem desrespeitado tanto as leis estaduais quanto a decisão judicial. Todos esses registros, com a identificação da unidade consumidora, foram incluídos na petição com o propósito de substanciar o pedido de cumprimento da liminar”, detalhou João Luiz, ao acrescentar que, além das residências, empresas e lojas, as igrejas também estão sendo alvo da ação da concessionária.

“Ao interromper o fornecimento da energia nas igrejas, a concessionária descumpre três leis estaduais ao mesmo tempo, as leis 5.143/20 e 5.145/20 e 5.198/220, que reconhece as igrejas e templos religiosos como serviço essencial. Diante disso, as igrejas não podem ter os serviços de energia interrompidos”, completou o parlamentar.

Em caso de suspensão no fornecimento de energia, João Luiz orienta os consumidores amazonenses a acionar a CDC/Aleam pelo número (92) 3183-4451 ou pelo WhatsApp (92) 99440-2019.

Pronunciamento

A ação da Amazonas Energia, de realizar cortes de luz irregulares na capital e no interior do Estado, foi o tema abordado pelo deputado João Luiz no plenário da Casa Legislativa, na manhã desta quinta-feira (1º), que recebeu o apoio dos pares presentes na sessão. Durante o pronunciamento, o Republicano foi aparteado pelos deputados Carlinhos Bessa (PV), Sinésio Campos (PT) e Wilker Barreto, que elogiaram o trabalho da CDC/Aleam em fazer valer legislação vigente e a decisão liminar.

Nota da Amazonas Energia

A Amazonas Energia informa que não foi oficialmente cientificada em relação a impossibilidade de corte, não conhecendo os fundamentos da decisão judicial, todavia, assim que for citada, adotará as medidas judiciais cabíveis para a defesa de seus interesses.

Reiteramos o compromisso de atender os clientes com mais rapidez e qualidade. Juntos avançamos.

Texto: Jeane Glay

-publicidade-