Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Comissão de Saúde da Aleam pede políticas de prevenção da Aids para além do Carnaval

Na semana em que o Ministério da Saúde divulgou que o Amazonas vive epidemia de Aids, o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), solicitou à Secretaria de Estado da Saúde (Susam) reforço nas políticas de prevenção e conscientização sobre a doença para além do período de Carnaval.
Por meio de Requerimento, o parlamentar sugeriu que o Estado adote a mesma estratégia anunciada pelo órgão federal de estender as ações para todo o resto do ano. “É fundamental investir em políticas de prevenção e enfrentar a Aids de maneira diferenciada. Prevenir significa se cuidar e ainda é o melhor remédio”, salienta Ricardo Nicolau.

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde revelam que o Amazonas apresentou 1.176 casos de Aids em 2014, o equivalente a 30,7% dos casos da região Norte e 1,6% dos registrados no Brasil. No mesmo ano, os números evidenciam que, no Norte, 50% da população sexualmente ativa não usou preservativo com parceiros casuais.

Na avaliação do presidente da Comissão de Saúde, o status epidêmico da doença se dá, principalmente, pelo descuido. “No Amazonas e no país inteiro houve esse crescimento pela falta de cuidado. A juventude de hoje não está consciente a ponto de se prevenir e evitar contrair não só o HIV, mas outras DST, como as hepatites B e C”, argumenta.

Testes rápidos

O presidente da Comissão de Saúde da Aleam destaca a importância do diagnóstico precoce das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). “A rede estadual de saúde disponibiliza testes rápidos que diagnosticam de forma precoce para que, assim, os impactos sejam muito menores para o paciente”, aponta Ricardo Nicolau.

A Fundação Alfredo da Matta, em Manaus, oferece gratuitamente os testes rápidos cujos resultados são mais rápidos que o método convencional. A metodologia de testagem, assim como a tradicional, é capaz de detectar casos de HIV, sífilis e hepatites dos tipos B e C.

-publicidade-