Há dias em que já acordamos de mau humor. Pior quando não há motivo específico. Simplesmente levantamos com o pé esquerdo. E agora? Como enfrentar um longo dia pela frente neste estado emocional? O ideal é ter muita cautela para que o mau humor não te prejudique, seja nas relações pessoais como nas profissionais. Veja as dicas:

Não tome decisões na flor da emoção

Boas decisões são aquelas que foram construídas levando em conta os prós e contras de cada cenário. Geralmente, elas são maduras, ou seja, vão se confirmando ao longo do tempo. Apesar de boas escolhas não serem garantia de sucesso, as impulsivas tendem a ser ruins e gerar arrependimento. Portanto, evite tomar decisões quando o lado racional não estiver no seu modo normal.

Duvide de seus julgamentos

Nos dias em que não estamos bem, há uma inclinação a ver o “copo meio vazio” ou olhar o mundo com lentes negras. Nossa percepção é muito influenciada pelo estado emocional do momento. O mau humor é capaz de fazer com que seus julgamentos sejam mais duros com você mesmo e com os outros. Se tiver a opção, deixe para fazer uma nova avaliação quando estiver em um dia melhor.

Tente manter tranquilidade ou saia de cena

Em momentos de mau humor, tendemos a ficar com o “pavio curto”. Por isso, fique atento ao modo como está tratando as pessoas e, de preferência, pense três vezes antes de emitir opiniões, principalmente se for em resposta a algo que você não gostou ou discorda. Se o mau humor estiver tão forte a ponto de sequer conseguir disfarçar, fique fora das conversas e se mantenha mais reservado.

Encurte seu dia no escritório

Se você tem a opção de controlar seus horários, trabalhando com banco de horas, por exemplo, encurte seu expediente no escritório. Ou se puder trabalhar de casa, nem vá para a empresa. Isso evitará exposições a situações limite.

Opte por atividades mais prazerosas

Caso o mau humor acorde com você em pleno sábado, escolha um roteiro que lhe proporcione prazer, que não exija esforço em aparentar que está bem e que possa até te trazer de volta o bem-estar. Uma massagem relaxante é uma boa dica para deixar corpo e mente em harmonia.

 

Por Alexandre Pedro, Psicanalista pela Sociedade Internacional de Psicanálise de São Paulo; Master Practitioner de PNL filiado ao NLP Academy; Hipnoterapeuta filiado ao International Board of Hipnosys e ao National Guild of Hipnotists