Take a fresh look at your lifestyle.

Compra de testes para Covid-19 dispara neste fim de ano nas farmácias

Só na primeira semana de dezembro, a rede Santo Remédio registrou em Manaus aumento de 21% na demanda

-publicidade-

Seja pela vontade de viajar ou pelo simples desejo de estar mais próximos de amigos e familiares, o fato é que, neste fim de ano, os brasileiros estão buscando mais certeza em relação a terem ou não sido contaminados pelo novo coronavírus. Dados da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) apontam um pico de 108,8 mil testes realizados entre os dias 23 e 30 de novembro. Na semana anterior, já tinham sido feitos 77 mil testagens.

Com a aproximação das festas de Natal e Réveillon, a tendência é que haja um aumento ainda maior no número de testes realizados em drogarias. Em Manaus, só a rede Santo Remédio, do Grupo Tapajós, registrou, na primeira semana de dezembro, aumento de 21% na demanda, se comparado ao mesmo período de novembro, um mês que, aliás, teve recorde de buscas.

Em 30 dias, a procura passou de 64% para 82%. O número é tão substancial que levou a direção da empresa a investir, inclusive, na oferta de mais de um tipo de teste para a Covid-19, com a compra dos exames de swab, que detectam o vírus ainda ativo no corpo (antígeno). Antes, a Santo Remédio só trabalhava com o teste de sorologia (IgG/IgM).

“Ambos são testes rápidos e o resultado sai em no máximo 20 minutos”, informa o farmacêutico e supervisor de vendas Rayfran Oliveira. A diferença, segundo ele, é que o primeiro é feito a partir da coleta de secreções da mucosa nasal do indivíduo, sendo indicado para realização entre o 1º e o 8º dias de sintomas. Já o segundo é feito a partir de algumas gotas de sangue coletadas da ponta do dedo do paciente, revelando se seu organismo entrou ou não em contato com o novo coronavírus, por meio da produção de anticorpos para a doença.

Esse tipo é mais indicado para quem está com mais de oito dias de sintomas, pois o organismo leva um tempo para produzir anticorpos, e se ele for feito fora dessa janela de tempo, pode gerar um falso negativo.

Oliveira acrescenta que o aumento da procura pelos testes na Santo Remédio foi gradativo desde que a rede passou a ofertá-los, mas que nos últimos dias tem se intensificado. “Desde que começamos a oferecer os testes rápidos, realizamos mais de 11 mil procedimentos na capital. Destes, em torno de oito mil foram positivos”, revela, ressaltando que todos os números foram repassados ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Atualmente, a Santo Remédio disponibiliza os testes para Covid-19 em três unidades na capital amazonense, sendo uma na avenida Tancredo Neves, no Parque Dez de Novembro, outra na Avenida Borba, Cachoeirinha, e outra na Avenida Coronel Teixeira, Ponta Negra.

A realização de testes rápidos para Covid-19 em farmácias e drogarias do Brasil está liberada desde 28 de abril, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou a Resolução – RDC Nº 377. No acumulado do período, esses estabelecimentos já contabilizam 1,3 milhão de testes em todo o país, com cerca de 196 mil resultados positivos (15%).

A Abrafarma reúne as 26 das maiores redes de farmácias brasileiras, somando mais de 8,3 mil estabelecimentos em todos os estados e no Distrito Federal. As redes associadas representam 45% das vendas de medicamentos no Brasil.

IBGE diz que números ainda são baixos

Embora a procura pelos testes esteja aumentando na rede privada, recente pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que apenas 10,7% da população do Amazonas já fez algum tipo de teste para Covid-19, seja na rede pública ou particular. O percentual, calculado até outubro, corresponde a apenas 433 mil pessoas dos mais de 4 milhões de habitantes.

Foto: Divulgação

-publicidade-