Conceição Sampaio e Ricardo Barros

A presidente da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, deputada federal Conceição Sampaio (PP-AM) informou que reuniu-se com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (22), quando solicitou que o Ministério da Saúde atenda a uma necessidade do Estado do Amazonas, na área da saúde da mulher, que é a adoção do sistema de citologia em meio líquido automatizada.

A parlamentar informou que o novo método de leitura das lâminas com o material coletado nos exames preventivos (Papanicolau) apresenta inúmeras vantagens sobre a citologia tradicional, principalmente a precisão e a maior velocidade.

“O método tradicional resulta em maior número de falsos positivos e falsos negativos nos exames, principalmente naqueles vindos do interior do estado, que demoram a chegar às mãos do patologista e, quando chegam, muitas vezes estão ressecados ou com fungos e parte do material é descartado. Muitas vezes, no material descartado, poderia estar a confirmação de um câncer de colo uterino em evolução. Some-se a isso a ausência de número suficiente de patologistas no Amazonas e temos um problema sério”, disse Conceição, acrescentando que, no sistema automatizado, existe maior velocidade e precisão. “É importante explicar que na citologia em meio líquido, o papanicolau continua sendo necessário e feito do mesmo modo. Apenas a coleta do material é feito de modo diferente, com o material sendo preservado em meio líquido e sendo lido, depois, em um equipamento automatizado, capaz de fazer a leitura de muitas lâminas por hora, com velocidade e precisão”, disse.

Conceição Sampaio explicou, ainda, que o equipamento de automação é a parte mais cara do processo, custando alguns milhões de reais. Por isso mesmo, sabendo das dificuldades pelas quais passa o estado na área da Saúde, solicitou o apoio ao Ministério.

“O ministro Ricardo Barros, que estará nesta quarta-feira em Manaus, participando da entrega de uma UBS indígena e da reinauguração do Hospital Universitário Getúlio Vargas, foi muito sensível ao meu pedido e disse que o Ministério da Saúde atenderá a essa necessidade. Pediu apenas que o Governo do Estado, via secretaria de Estado da Saúde, fizesse o pedido formal. Neste sentido, já entrei em contato com o secretário Pedro Elias, para as providências. Manaus é a capital mundial do câncer de colo de útero, que é o que mais mata mulheres no Amazonas. Precisamos mudar essa realidade”, finalizou.