As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Conheça os sinais que mostram que o órgão sexual feminino está saudável

Calcinha, menstruação, sexo e secreções são pontos a serem observados para manter sua vagina saudável

Será que minha vagina cheira mal? Posso usar sabonete líquido? É muito comum as mulheres se perguntarem se está tudo certo com sua saúde íntima. Acontece que os cuidados com a vagina e com a flora vaginal, infelizmente, ainda são cercados de mitos e preconceitos.

Cheiro de vagina é cheiro de vagina

Durante décadas, a ducha foi comercializada como uma forma de manter a mulher “fresca”, livre de odores. Esse produto é extremamente invasivo e possui muitas contraindicações. A vagina possui um pH ácido natural, e é capaz de se manter limpa sem a necessidade de químicos.

Portanto, se sua vagina está com cheiro de tutti-frutti, menta ou morango é melhor procurar um especialista. As bactérias produzidas pela sua vagina, sua flora, são perfeitamente capazes de cuidar da limpeza.

Como limpar?

A parte que você deve limpar é chamada vulva, que corresponde à parte externa do órgão. Não é recomendado que se use sabonetes, apenas água é o suficiente para manter os grandes lábios limpos e saudáveis. Sabonetes íntimos são permitidos, mas com moderação, o uso diário pode ser agressivo com a sua pele.

Todos os movimentos de higienização da vagina devem ser feitos de frente para trás. Isso impede que bactérias de outras partes, como o ânus, entrem em contato com a vagina e causem as temidas e desagradáveis infecções urinárias.

Secreções na calcinha

Não se acanhe caso sua calcinha fique suja com secreções. O corrimento é uma forma de seu corpo expelir células cervicais e vaginais. Ele é normal e deve ter uma coloração clara, sem cheiro, e você não deve sentir dor ou coceira por causa dele. Caso seu corrimento esteja incomodando, procure um ginecologista.

A escolha da roupa e da calcinha certa pode ser de grande utilidade quando se trata de corrimentos. Evite os tecidos sintéticos e opte pelo algodão. Isso permite que a vagina “respire” e evita a proliferação de bactérias, além de evitar a sensação desconfortável do corrimento.

Ginecologistas recomendam dormir sem calcinha, para que, ao menos durante um período, sua vagina fique sem tecidos abafando-a e friccionando a pele. E nem pensar em deixar as calcinhas secando no banheiro. A umidade do box cria um ambiente propício às bactérias.

Mas e durante a menstruação?

O período da menstruação é bem delicado. Os absorventes aumentam significativamente o risco de infecções, porque ficam em contato constante e direto a vagina.

Se você usa absorventes, internos ou externos, lembre-se de trocá-los com frequência, para evitar a proliferação de bactérias. Alternativas como absorventes reutilizáveis de algodão, além de mais ecológicas, podem ser mais saudáveis já que não abafam a região.

Sexo seguro

Não precisa nem dizer né? É importante utilizar camisinha em todas as relações sexuais para evitar que bactérias entrem em contato com a vagina e com a uretra, além de prevenir contra as DSTs. Fazer xixi após o sexo ajuda a combater as infecções: a urina, ao ser eliminada, leva consigo as possíveis contaminações do canal.

Outro ponto importante é sempre trocar o preservativo após relações anais. As bactérias da região anal não podem ser introduzidas na vagina. Brinquedos sexuais são bem-vindos, mas mantenha-os sempre devidamente higienizados, e evite compartilhá-los com seu parceiro ou parceira.

Quanto aos lubrificantes, a preferência deve ser para aqueles à base de água ou os naturais. O excesso de químicos pode irritar a vagina e a vulva.

Médico sempre que achar necessário

Ainda tem dúvidas? Acha que algo está fora do normal? Procure seu ginecologista, ele poderá tirar todas as suas dúvidas e angústias — e tratá-las se for o caso. Como qualquer condição médica, quanto antes o tratamento começar, melhor. Então não receie em questionar e buscar um especialista.