Com a missão de garantir protagonismo social a quem chegou à terceira idade, o Conselho Estadual do Idoso (CEI) comemorou nesta terça-feira, dia 13, 22 anos de criação homenageando “parceiros” que em 2018 colaboraram para o fortalecimento da Política Estadual do Idoso. O defensor público Thiago Nobre Rosas foi um dos 20 homenageados.

A solenidade de entrega do certificado de honra ao mérito “Amigo do Idoso” foi realizada na Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), no bairro Santo Antônio, zona oeste de Manaus, e contou com a participação do diretor-geral da instituição, o médico Euler Ribeiro, além da presença de dezenas de beneficiados do trabalho desenvolvido pelo CEI.

A presidente do conselho, Kênia Mota Brito, afirma que o papel do órgão vai muito além de estimular a valorização da pessoa idosa. De acordo com ela, os conselheiros e parceiros do órgão trabalham em diversas frentes para proteger, desenvolver políticas públicas e incentivar a independência dos idosos. “Trabalhamos para que eles sejam protagonistas, sejam respeitados e tenham poder de decisão”, diz ela.

Diante disso, Kênia Brito sustenta que o trabalho de orientação jurídica e defesa feitos pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) é “fundamental” para garantir direitos da população idosa e o fortalecimento da Política Estadual do Idoso. “A Defensoria faz um trabalho fantástico”, registra ela, em referência às ações desenvolvidas pela Defensoria Pública Especializada em Atendimento ao Idoso.

O defensor público Thiago Nobre Rosas, que não atua diretamente na unidade, teve o trabalho reconhecido pelo CEI por ter atuado em um mutirão, em junho deste ano, na Delegacia Especializada em Crimes contra a Pessoa Idosa, na semana em que se comemorou o Dia Mundial de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa. Na ocasião, cidadãos acima de 60 anos receberam atendimento jurídico em todas as áreas.

“Os idosos, embora estejam caminhando para ser maioria na sociedade, são parte de uma população vulnerável que, em muitos casos, são fragilizados pela própria família e por autoridades que não conseguem prestar os serviços públicos de saúde, lazer, educação. Então, a Defensoria Pública atua para garantir esses direitos”, afirma Thiago Nobre Rosas, acrescentando que o certificado de honra ao mérito não é um reconhecimento pessoal, mas sim, do trabalho coletivo da DPE-AM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here