O Brasil deve perder cerca de 1,4 milhão de postos formais de trabalho até o fim deste ano, após encerrar 2015 com saldo negativo de 1,6 milhão, de acordo com estimativas da consultoria LCA. Pelas previsões, a indústria ficará com cerca de 558 mil postos a menos, liderando entre os setores com maiores baixas no número de vagas.

RENDIMENTO

Desde 1999, o Brasil não tinha um 2º ano seguido com fechamento líquido de empregos, pelos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). As projeções da consultoria apontam que o rendimento médio do brasileiro deve ter neste ano a segunda baixa seguida – retração de 2,5%, depois de fechar o ano passado com queda de 3,9%.