Corecon-AM defende modernização em aprovação de projetos junto ao Codam

Retirar entraves burocráticos e adotar metodologias com base em novas tecnologias para a análise e aprovação de projetos técnico-financeiros junto à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) foi a principal proposta apresentada pelo Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM) durante a 290° reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Amazonas (Codam), órgão ligado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti).

A entidade foi convidada a participar da reunião após o envio de proposta com sugestões de novas metodologias para aprovação de projetos relacionados às indústrias que operam no Estado.

De acordo com o presidente da entidade, Martinho Luís Gonçalves Azevedo, a construção de um novo modelo vem ocorrendo desde março, por meio de debates e reuniões com a classe de economistas. A medida vai ao encontro da resolução CAS nº 205/2021, que dispõe sobre a análise e o acompanhamento de projetos industriais e que passa a vigorar em janeiro de 2022. O novo marco regulatório promete melhorar o processo de desburocratização e transparência de procedimentos no âmbito da Suframa.

“As tratativas que possuem prazo de 30 dias para a conclusão precisam de ajustes técnicos que podem ser acordados em uma nova reunião entre os segmentos envolvidos. Uma vez que não há mais o esclarecimento de dúvidas diretamente com o corpo técnico, penso que seja possível chegar em um bom termo que elimine o caráter subjetivo da avaliação e evitar que o processo caia em arquivamento e precise ser refeito”, explicou.

Azevedo lembrou ainda o aniversário de 50 anos do Crecon-AM, que coincide com o início da implantação da Zona Franca de Manaus, pontuando a necessidade de valorização do modelo ZFM e a aproximação das instituições que administram os incentivos fiscais.

“É um modelo que deu muito certo e nossos colegas economistas foram aprimorando essa relação ao longo do tempo. É um grande compromisso para o profissional economista auxiliar no desenvolvimento do Estado do Amazonas”, disse.

Foto: Divulgação