Por Ricardo Karpat*

Nada mais ilustrativo neste momento do que a expressão “enquanto uns choram, outros vendem lenços”. Sempre em momentos difíceis surgem oportunidades em todos os níveis. Vamos falar sobre alguns deles, como estagiários, assistentes e analistas.

Todos sabemos que enfrentamos um dos momentos mais delicados da economia brasileira. Após anos de expansões e crescimento, o tombo foi feio e, pior, muito provavelmente ainda não estamos no fundo do poço. Deveremos ter mais 18 meses de muitas dificuldades.

Presente e futuro nebulosos, o que fazer? Lamentar e torcer não mudará o cenário. Sendo assim, vamos entender as oportunidades que surgem nas lacunas dos problemas.
A primeira verdade que temos que ter em mente é que, em momentos aonde o cenário está positivo, com a empresa e a economia crescendo, a possibilidade de se destacar na corporação é muito menor. Isto porque as coisas estão dando certo como um todo, a engrenagem funciona bem, não dependendo tanto do desempenho individual. Destacar-se em um cenário coletivamente positivo é sempre muito complicado. Porém, no cenário oposto, que é o que vivemos hoje, aonde diversas empresas estão passando por momentos difíceis, o destaque individual é muito mais possível e percebível. Muitas empresas, por exemplo, estão trabalhando com um número reduzido de profissionais. Sendo assim, aquele que realiza dedicação extra para cumprir com sua função e outras, certamente será observado de maneira diferente.

O esforço extra do profissional faz com que ele consiga acumular tarefas que seriam de outros, que por conta da crise a empresa não conseguiu manter. De forma objetiva, este profissional fez com que a empresa não perdesse clientes e dinheiro, sendo facilmente reconhecido. A diretoria e a alta gerência, muito provavelmente, reconhecerão esses esforços adicionais.

Outra grande oportunidade são possibilidades de melhorias. Processos são sempre passiveis de evoluções, aumentando a produtividade e/ou diminuindo os custos. Em momentos de dificuldades, essas aplicações são sempre bem vindas. Sendo assim, traga sugestões concretas, embasadas em números e apresente aos seus superiores. Além de viabilizar melhorias à empresa, você estará demonstrando envolvimento e comprometimento.

Por fim, coloque-se à disposição da empresa para o que for necessário. Em momentos que os gestores estão quebrando a cabeça para solucionar dezenas de problemas, um funcionário dedicado, o chamado “pau para qualquer obra” é o que os gestores mais precisam. No mundo corporativo, temos que oferecer para depois ter. Oportunidade melhor do que crise, para oferecer e ser reconhecido, não existe. Aproveite-a!

*Ricardo Karpat é Diretor da Gábor RH, administrador de empresas especializado em recursos humanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here