As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Curso de técnicas de reanimação cardiopulmonar em Centro de treinamento integrado

Cerca de 90% das pessoas, vítimas de PCR (parada cardíaca ou parada Cardiorrespiratória) vão a óbito antes de chegar a uma unidade de saúde. Segundo estatísticas, 86% dos casos ocorrem nos lares e 14% em vias públicas ou em lugares de grande concentração de pessoas. Uma RCP (ressuscitação cardiopulmonar) feita corretamente pode dobrar, ou mesmo triplicar as chances de sobrevivência.

No Brasil, são mais de 200 mil casos por ano de infarto, enquanto nos últimos cinco anos houve um aumento de 5% para 12% no índice de parada cardíaca em jovens. Pensando nesse contexto e em situações que podem ocorrer em corridas de rua ou maratonas que a diretora do Studio Run, Deise Leão, organizou um curso de RCP em parceria com as estudantes de medicina da Ufam (Universidade Federal do Amazonas) que fazem parte do Projeto ReanimAÇÃO.

“A ideia de trazer o projeto para os corredores é justamente para aprender o que fazer nas situações de PCR, seja na rua ou em uma corrida, pois cada segundo é precioso. Então se cada um sair do curso sabendo o básico do treinamento de RCP, essa pessoa já pode salvar uma vida” declarou Deise Leão.

O projeto Reanimação existe faz 6 anos e foi criado por um aluno e um professor de medicina da Ufam, cerca de 30 acadêmicos de medicina fazem parte do projeto e ministram treinamentos gratuitos para qualquer grupo de pessoas que tenham interesse em aprender sobre os suportes básicos de vida.

Segundo a estudante do 8° período de medicina, Natália Sória, que ministra o treinamento, grande parte das paradas cardiorrespiratórias ocorrem no nosso dia a dia, pessoas que são fora da área da saúde tem suma importância de conhecer essas manobras que salvam vidas.

“Quando uma pessoa está fazendo um exercício ou atividade física e tem uma parada cardíaca e ela cai, você tem 10 minutos para fazer alguma coisa para salvar a vida dessa pessoa e às vezes o socorro do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) não é tão rápido para chegar e conseguir salvar ela.” informa a estudante.

Natalia lista algumas das principais dicas de técnicas de reanimação e alerta que apenas com o treinamento adequado se pode fazer as manobras.

1. O primeiro passo é reconhecer os sinais de vida, vendo se a pessoa responde, está consciente e se respira, checando o pulso e se o abdômen está subindo e descendo.

2. Depois de conferido que a pessoal realmente está inconsciente, você pode declarar que ela está em parada e acionar urgentemente o SAMU

3. O terceiro passo seria começar as manobras de RCP, mas essas manobras exigem um grau de qualidade para serem eficazes então apenas pessoas treinadas podem realizar estes procedimentos.

São os leigos que na maioria das vezes presenciam primeiramente uma vítima de PCR é caso da servidora pública Nathalie,34, que procurou o curso após presenciar em 2016 a sua então vizinha Maria, tendo uma parada cardiorrespiratória.

“Eu tentei fazer o necessário, chamando o SAMU e tentando realizar a massagem cardíaca, talvez não de forma correta, mas infelizmente minha vizinha veio a óbito, o fato me marcou muito e penso o quão necessário é buscar por conhecimento em todos esses âmbitos, para assim poder salvar uma vida ou ajudar até que o socorro se apresente.” declarou Nathalie.

Outro que procurou se aprimorar nas técnicas de RCP fazendo o curso foi o empresário Alexandre Augusto, 46, que é corredor e sentiu que era necessário poder ajudar outra pessoa que pudesse passar por uma situação de parada, seja em alguma corrida que ele participe ou no dia a dia.

“Aprender as técnicas de reanimação para mim como corredor é bastante útil, pois como corremos sempre em grupo nunca sabemos o que pode acontecer, seja em uma maratona ou até mesmo em academias. A iniciativa do Studio Run em nos dar este conhecimento é perfeita, pois nós vivemos muito isso no dia a dia e saindo do curso eu já me sinto bastante preparado para ajudar alguém caso ocorra.” finalizou o empresário.

Foto: Divulgação