As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Custo da construção no Amazonas caiu 0,16% em maio

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) para o Amazonas, calculado pelo IBGE, apresentou variação de -0,16% em maio, ficando 0,55 pontos percentuais acima da taxa do mês anterior (0,39%). Os últimos 12 meses ficaram em 3,85%, resultado acima dos 3,59% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em abril fechou em R$ 1.030,07, em maio caiu para R$ 1.028,43, sendo R$ 561,22 relativos aos materiais e R$ 467,21 à mão de obra.

A parcela dos materiais teve variação de -0,29%, caindo 0,99 pontos percentuais em relação ao mês anterior (0,70%). Já a parcela da mão de obra, não apresentou variação, pois o resultado foi igual da taxa registrada no mês anterior.

De janeiro a maio, os acumulados são 0,86% (materiais) e 9,05% (mão de obra), este último muito em função do dissidio já ocorrido em 20

As constantes promoções realizadas pelo comércio de materiais de construção local, certamente é o maior responsável pela queda do custo local. Pressionados pela diminuição no volume de vendas, os comerciantes buscam nas promoções potencializar suas vendas.

Região Nordeste registra maior variação mensal

A Região Nordeste, com 0,78%, ficou com a maior variação regional em maio. Nas demais regiões os resultados foram: -0,12% (Norte), 0,18% (Sudeste), 0,10% (Sul) e 0,05% (Centro-Oeste). Os custos regionais, por metro quadrado, foram para: R$ 1.051,14 (Norte); R$ 972,25 (Nordeste); R$ 1.088,12 (Sudeste); R$ 1.075,55 (Sul) e R$ 1.042,77 (Centro-Oeste).

Bahia registra a maior alta

Decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, a Bahia, com 2,31%, foi o estado com a mais elevada variação mensal. A seguir veio Sergipe, com 2,03%, também sob impacto de reajuste definido na convenção coletiva.