A Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) solicitou que a Polícia Militar ponha em liberdade o tenente Joselito Pessoa, acusado de matar o cabo Grasiano Monteiro Negreiros e o sargento Edzandro Santos Louzada. Os militares foram mortos durante uma suposta discussão dentro de um carro na madrugada deste sábado (05). O suspeito foi preso foi preso em flagrante. As informações são do G1 da Globo. Durante o ataque, o major Lurdenilson Lima de Paula, 40, levou um tiro que atingiu a coluna e pode ficar paraplégico. O autônomo Robson Almeida Rodrigues, de anos 25, também ficou ferido.

O defensor público Maurílio Maia afirma que o pedido feito à Justiça do Amazonas para que o tenente responda em liberdade. “Mas afastado das funções, sem porte [de arma] e outras medidas cautelares”, explicou ao G1.

A DPE informa, ainda, que familiares dos policiais mortos podem procurar o órgão para buscar assistência jurídica, atendimento social e psicológico.

Entenda o caso

Ouça áudio e veja fotos – Tenente da polícia é acusado de matar cabo, sargento, deixar major paraplégico e ferir borracheiro em Manaus