Take a fresh look at your lifestyle.

Desmatamento no Estado do Amazonas é um dos menores da região norte, segundo o Imazon

-publicidade-

O Estado que mais registrou desmatamento foi Mato Grosso, responsável por 75% do total de desmatamento, de acordo com o Instituto do Homem e Meio Ambiente
O Instituto do Homem e Meio Ambiente (Imazon) divulgou nos últimos dias um boletim de desmatamento na Amazônia Legal referente ao mês de janeiro de 2015. O Estado do Amazonas ficou com a porcentagem de 1% do total de 288 quilômetros de área desmatada, ou seja, 2km2.

O Estado que mais registrou desmatamento foi o Mato Grosso, responsável por 75% do total do desmatamento levantado pelo Imazon, e o Estado do Pará foi o segundo que mais contribuiu para o desmatamento da Amazônia Legal, com o percentual de 20%. Rondônia, Tocantins e Roraima também apresentaram baixo percentual de desmatamento com 2%, 1% e 1% respectivamente.

De acordo com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável (SDS), os resultados positivos para o Amazonas representam uma agenda intensa de ações de prevenção e controle do desmatamento desenvolvida pelo Governo do Estado e entidades parceiras. Uma das ações mais importantes está no ordenamento territorial e no controle e fiscalização das áreas onde há maior pressão de desmatamento. Essas propostas estão consolidadas no Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento do Amazonas (PPCD-AM).

“Nos últimos cinco anos houve uma redução significativa de 22% do desmatamento ilegal no Amazonas em função das políticas ambientais integradas de prevenção e controle do desmatamento, e do incentivo às atividades produtivas sustentáveis, com foco na agricultura familiar, nas atividades extrativistas e no manejo da pesca”, pontuou a titular da pasta, Kamila Amaral.

Além de desmatamento, o Imazon, por meio do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), também identificou 389 quilômetros de florestas degradadas, todas no norte do Mato Grosso, próximo à divisa do Estado do Amazonas, o que tem trazido um grande alerta para a Secretaria de Meio Ambiente.

Desmatamento cai 20% em 2014 – Outra demonstração de que o Amazonas está conseguindo baixar os índices de desmatamento está nos dados divulgados em novembro do ano passado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O relatório do órgão apontou uma redução de 20% em relação ao ano de 2013.

Os números são oriundos do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes). O sistema registra como desmatamento as áreas maiores que 6,25 hectares onde ocorreu remoção completa da cobertura florestal – o corte raso.

Cadastro Ambiental Rural – Umas das estratégias de combate ao desmatamento e ao uso abusivo de áreas florestais é a realização do Cadastro Ambiental Rural (CAR), com o objetivo de regularizar as propriedades rurais de modo que o Estado consiga mapear todas as áreas de florestas onde haja presença ou atividade econômica, mesmo que seja de subsistência.

“Além de saber quem está fazendo o uso da terra, com o CAR, nós podemos orientar, delimitar a área e editar modelos sustentáveis de exploração”, destacou Kamila, enfatizando que um dos maiores desafios de combater o desmatamento é responsabilizar os autores especialmente por se tratar de atividades realizadas por crime organizado dedicado a não deixar registros.

CRÉDITO DA FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SDS

-publicidade-