Em parceria com a Seinfra, reeducandos do CDPM II começam a atuar em frentes de trabalho e prestação de serviços em rodovias estaduais

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Amazonas (Seap) iniciou, nesta terça-feira (13/08), a segunda fase do projeto “Trabalhando a Liberdade”. Vinte reeducandos do Centro de Detenção Provisória Masculino II (CDPM II), localizado no km 08 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), passaram o dia trabalhando no trecho inicial da AM-070, próximo à ponte sobre o Rio Negro.

A rodovia está sendo duplicada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura do Amazonas (Seinfra) e os reeducandos estão auxiliando na pintura do meio-fio, roçagem das margens e limpeza do pavimento para remoção de detritos, entre outros serviços de apoio.

O secretário da Seap, tenente-coronel Vinícius Almeida, visitou a obra e acompanhou de perto o trabalho dos internos ao longo da rodovia. Segundo ele, o sistema prisional do Amazonas está passando por um novo momento.

“A orientação do governador Wilson Lima é de que as secretarias trabalhem de maneira integrada e a Seap dá um grande passo na ressocialização dos presos. Além de dar uma nova profissão a eles, o objetivo é reduzir os custos do estado com o uso da mão de obra carcerária”.

Atualmente, o “Trabalhando a Liberdade” é um dos principais projetos de ressocialização da Seap, com o apoio da Embrasil Serviços, empresa cogestora do CPMD II. Ao todo, 157 reeducandos da unidade prisional participam do projeto. Para cada três dias trabalhados, o interno tem um dia de redução da sua pena.

Segundo o supervisor de projetos de remição do CDPM II, Ronald Francisco da Silva Correa, a primeira fase do “Trabalhando a Liberdade” foi realizada dentro das unidades da Polícia Militar do Amazonaa (PMAM), com obras de reformas e construções realizadas pelos reeducandos.

“Foi uma etapa importante para avaliar o comportamento dos apenados fora da unidade. Agora, partimos para ambientes abertos, como vias públicas e rodovias estaduais, ampliando as oportunidades de trabalho para um maior número de reeducandos”, explicou.

Remição da pena – Além dos 157 internos beneficiados pelo “Trabalhando pela Liberdade”, outros 112 reeducandos do CDPM II desenvolvem atividades internas para a remição da pena, por meio da realização de serviços gerais, corte de cabelo e artesanato. Hoje, 268 internos trabalham pela redução das suas penas. Isso representa quase 25% da população carcerária da unidade prisional, atualmente com 1.122 internos.

FOTO: CLAUDIO HEITOR/SECOM