A luta diária das pessoas com alguma deficiência no Brasil precisa ganhar visibilidade. Observado números nacionais, é possível perceber a relevância do tema: Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, mais de 45 milhões de pessoas tem algum tipo de deficiência, seja do tipo visual, auditiva, motora ou mental/intelectual. Isso corresponde a quase 24% da população no país. Por isso, nesse dia 21 de setembro, data que marca a Luta das Pessoas com Deficiência, é importante ouvir um relato como o da Carla Maia, que é considerada tetraplégica, mas sempre buscou realizar seus sonhos.

“Eu costumo dizer que sou a primeira em tudo. Eu fui a primeira a tirar uma carteira [CNH] oficialmente aqui em Brasília; fui a primeira repórter de um jornal factual, uma jornalista; eu fui a primeira atleta com uma tetraplegia, do tênis de mesa paralímpico do Brasil, enfim. Eu acho que é não ter medo dos seus sonhos. Eu podia ter desistido antes de tentar, porque nunca antes de mim houve alguém que enfrentou essas coisas que eu fui a primeira. Deram coisa erradas? Dera! Teve coisas que eu não consegui? Teve. Mas olha o tanto de coisa que eu consegui, eu realizei meus sonhos!”.

Danilo Luz faz parte da coordenação de Saúde da Pessoa com Deficiência do Ministério da Saúde e dá algumas dicas de como a pessoa com deficiência pode encontrar o serviço mais próximo de casa.

“De maneira geral, o ideal é que sempre usuário ou no caso a pessoa deficiência, procure sua unidade básica de saúde. E procure saber qual é a referência dela para reabilitação. A gente tem, no site do Ministério da Saúde, uma página voltada para pessoa com deficiência onde tem a lista dos centros especializados em reabilitação, o endereço, o telefone, quais as modalidades de reabilitação que ela atende, se ele atende físico ou intelectual. Qual é o tipo de atendimento que ele presta. Bem como tem os contatos das Secretarias de Saúde. Se o usuário puder entrar em contato com a sua Secretaria de Saúde, ele pode se informar qual é o centro especializado em reabilitação ou na região de saúde”.

Além disso, o Ministério da Saúde está atuando para expandir o acesso das pessoas com deficiência aos serviços de saúde pública. Em 2011, o Governo Federal instituiu o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – chamado Plano Viver Sem Limite; Ele tem objetivo de articular políticas para garantir a inclusão social, a acessibilidade, o acesso à educação e a atenção à saúde das pessoas com deficiência.

Reportagem, Janary Damacena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here