Distritos indígenas terão reforço de 21 mil mosquiteiros no combate à malária

Os Distritos Especiais Indígenas (DSEIs) da Região Amazônica ainda vivem sob a ameaça do mosquito Anopheles – que transmite Malária. A partir deste mês o Ministério da Saúde vai distribuir 21 mil mosquiteiros impregnados com inseticida desenvolvidos especialmente para proteger você e sua família contra a doença. O coordenador substituto dos Programas Nacionais de Malária e Dengue do Ministério da Saúde, Cássio Peterka, fala mais deste diferencial.

“ Na verdade, esse mosquiteiro, além de ser uma barreira física – como todos os mosquiteiros que a gente tem hoje são – ele tem inseticida. Então além da barreira física ele dá uma proteção para todos em volta. Porque o mosquito ao entrar em contato com o mosquiteiro, morre”.

Com isso, o número desses mosquitos transmissores da malária diminui – o que reduz as chances de transmissão da doença. Inicialmente, os 300 mil mosquiteiros adquiridos pelo Ministério da Saúde serão enviados a 34 municípios de seis estados da região Amazônica e nove Distritos Sanitários Especiais Indígenas – DISEIs – regiões que concentram 80% dos casos de Malária do país. O especialista Cássio Peterka explica como será feita a distribuição.

“Os mosquiteiros serão instalados nas casas pelos agentes de endemias. Os agentes vão até as localidades, até as casas que já são pré-selecionadas de acordo com a transmissão da doença. E a orientação é que o morador ouça a explicação do agente, deixe instalar o mosquiteiro na sua casa. Se for mosquiteiro de rede vai ser instalado na rede, se for cama vai ser pra cama. E o agente vai explicar toda a forma de utilização do mosquiteiro”.

Se você quer saber se sua casa vai receber o mosquiteiro, basta entrar em contato com o serviço de saúde mais próximo. O próximo passo para evitar novos casos de malária é reduzir o número de pessoas doentes. Quer saber porquê? Escute a explicação do especialista.

“A única forma do mosquito pegar o agente transmissor da Malária é picando uma pessoa doente. Então se eu não tiver pessoas doentes naquela região, naquela área, naquela localidade os mosquitos podem picar a vontade, porque não tem o agente que causa a Malária que é o Plasmodium”.

Então, ao sinal do primeiro sintoma, como febre, dor na nuca, dor nas costas e outros, procure a unidade de saúde mais próxima para fazer o diagnóstico e inicie o tratamento imediatamente. Para combatermos a malária, é importante fazer o tratamento até o final e utilizar os mosquiteiros impregnados todas as noites.

Reportagem, Aline do Valle.