Dois homens são presos por envolvimento em latrocínio em embarcação na Zona Rural de Manaus

Warleson e José Domingos
Warleson e José Domingos

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Titular da 4ª Seccional Oeste, Delegada Suely Costa, prendeu em cumprimento a mandado de prisão preventiva na tarde de hoje (29), José Domingos Souza Mendes, 22, o “Mucambo”, e Warleson Paulino Bastos, 27, o “Meireles”. Eles foram apresentados em coletiva de imprensa na sede do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), por crime de latrocínio.

Os dois criminosos são apontados pela participação no latrocínio, roubo seguido de morte, que vitimou Antônio Marcos Carpino de Lima, 23, chamado de “Marquinhos”, e de seu ajudante, José Luiz de Souza, 51, ocorrido na noite do último dia 19 de dezembro, na embarcação Canário do Rio Negro, nas proximidades da comunidade Paraná do Moura, no local chamado de “Sovaco da Cobra”, na Zona Rural da capital.

A embarcação foi localizada no dia seguinte ao crime, por volta das 13h, sem os ocupantes, nas imediações de onde o crime aconteceu, com vestígios de sangue. Já os corpos das vítimas só foram encontrados, decapitados e um deles sem um dos membros superiores, no dia 22 de dezembro, próximo às comunidades Aruau e Mipindiaú, também na Zona Rural de Manaus.

José Domingos e Warleson foram encontrados por policiais militares na última quinta-feira, dia 25, no município de Novo Airão, distante 115 Km de Manaus, no dia seguinte a detenção deles, quando foram levados para o 19º DIP, para prestar esclarecimentos em torno do latrocínio. De acordo com a Delegada Suely Costa, inicialmente, os dois negaram envolvimento no crime, mas logo confessaram participação com riqueza de detalhes.

Após a confissão, a Titular do 19º DIP, Lucimar Amorim, representou à Justiça os mandados de prisão preventiva, que foram expedidos no último sábado, dia 27, pela juíza Sanã Nogueira Almendros de Oliveira, do plantão criminal.

A Delegada Suely Costa informou que além de José Domingos e Warleson, outros dois homens identificados como Valber Brito do Nascimento, o “Binho”, e o irmão de Warleson, identificado por Huerdeson Paulino de Melo, conhecido por “Moicano” participaram da morte. Suely informou que “Binho” e “Moicano” já estão com as prisões decretadas.

Na coletiva de imprensa, a autoridade policial destacou a motivação do crime. “A intenção deles era praticar o roubo e já tinham decidido que as pessoas que estivessem no barco seriam mortas, eles fizeram reuniões e planejaram o crime, até porque os autores conheciam as vítimas. Um deles, que é o “Binho”, tinha informações como dia e horário que a embarcação passava no lugar, e que no barco havia dinheiro e uma arma. As vítimas vendiam nas comunidades, combustíveis, produtos alimentícios e gelo, os autores do delito estavam em duas canoas e abordaram o barco com um balde simulando que queriam comprar combustível”, informou Suely.

Os dois presos informaram que no dia em que praticaram o crime, levaram das vítimas, R$ 3 mil em dinheiro, combustíveis, oito litros de aguardente de cana e peças mecânicas do barco. A partir do depoimento dos dois presos, Policiais Civis lotados na 4ª Seccional Oeste, 19º DIP, e integrantes do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (FERA), realizaram diligências na comunidade, onde recuperaram a arma, uma espingarda calibre 20, um alternador e ferramentas da embarcação que foram roubadas. Além desses materiais, os policiais recuperaram R$ 205.

Ao término dos procedimentos legais cabíveis realizados na unidade policial, José Domingos e Warleson, serão encaminhados à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde ficarão presos à disposição da Justiça.

A Delegada Suely Costa pediu que a população colabore com o trabalho da Polícia Civil e ajude a localizar “Mucambo” e “Binho”. Quem souber do paradeiro deles pode ligar para Seccional Oeste e 19º DIP pelos números: 3673-5335 e 3625-4343, respectivamente, ou para o número 181, o disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). A Polícia Civil assegura o sigilo da identidade dos informantes.