As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Dorgival Dantas, compositor nacional de hits como “Pode Chorar” e “Destá”, é super atração de sexta, 24, na Pink Elephant

A Pink Elephant recebe na próxima sexta-feira, 24 de abril, um dos principais compositores da música brasileira atualmente, o cantor Dorgival Dantas, natural de Natal, que começou a carreira aos 14 anos. Será a “Noite do Poeta”, com muito xote e mistura de ritmos, que dará o tom incrível à festa na casa. Para Dorgival, hoje em dia as pessoas não curtem só um estilo musical: “Por muito tempo as pessoas se dividiam em grupos isolados que só curtiam um tipo de música. Hoje é comum você ver aquele cara que passa o dia ouvindo rock, que realmente gosta de rock, mas que à noite sai com os amigos para curtir um show de sertanejo, forró. Isso é bom. Isso é gostar de música boa, independentemente do segmento”, fala a atração de sexta.

Dorgival ainda afirma que atualmente os cantores de forró cantam sertanejo, o sertanejo canta forró e faz uma performance de funk dentro da apresentação. “Essa mistura de ritmos leva o público à loucura. Acho que o forró e o sertanejo hoje em dia já viraram um casamento”, diz o artista, altamente influenciado pelo pai, Cícero Dantas, que também era sanfoneiro. Com a experiência de ter tocado com outros grupos e duplas ao longo de sua carreira, o potiguar foi diretor musical do Pirata Bar e produziu grandes artistas e bandas de forró, com quem ganhou destaque como produtor e compositor de renome nacional.

O primeiro CD surgiu em 2006, com as músicas de trabalho “Eu não vou mais chorar” e “Por quê?”. No ano seguinte, veio “Primeiro Passo”, acompanhada de uma turnê pelo Brasil. Com tantas músicas já conhecidas do público, Dorgival é um dos poucos artistas brasileiros que tem o privilégio de fazer um show com repertório autoral e ver o público cantando do início ao fim. São 19 canções, todas de autoria de Dorgival, incluindo os sucessos como “Pode Chorar”, “Coração”, “Amor Covarde”, “Por quê?”, “Valeu”, “Tarde Demais”, “Bara, bará”, “Você Não Vale Nada” e “Destá”.