As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Doutorandos da Rede Amazônica de Educação em Ciência e Matemática defendem tese na UEA

O programa já formou mais de 120 doutores na Amazônia Legal

A Série de defesas de teses de doutorado da Rede Amazônica de Educação em Ciência e Matemática (Reamec) ocorreu na manhã desta segunda-feira (10/06), no anexo da Escola Normal Superior (ENS) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

O programa já formou mais de 120 doutores na Amazônia Legal por intermédio de seus polos localizados na UEA, Universidade do Pará (UFPA) e a Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) e conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Para a pró-reitora de Ensino de Graduação da UEA, Kelly Cristiane Souza, as defesas são um momento de resistência, opostas ao cenário de retração dos investimentos na educação. “Essa manhã descreve o que somos, onde estamos e aquilo que acreditamos, o doutorado passa pela perspectiva de formação dos professores e pode mudar a realidade de muitas pessoas”.

A diretora da ENS, professora doutora Vanúbia Moncayo, destacou o protagonismo da ENS na formação de professores nas áreas de graduação e pós-graduação. “Nosso ofício como docentes da universidade pública é direcionar jovens, professores, e assim promover a melhoria e o progresso da sociedade”, ressaltou Moncayo.

Segundo a doutoranda Diana Diniz, que defendeu a tese de formação de professores nas escolas do campo para proporcionar uma educação de qualidade à população, o número de doutores em educação ainda é muito baixo no Estado do Maranhão, que também faz parte da Amazônia Legal. “Nessa região existem muitos assentamentos, quilombos, populações indígenas que vamos estudar os impactos e propor uma avaliação dessas intervenções na região”.

O Reamec é coordenado pela professora da UEA, Josefina Barrera. Possui avaliação nota 5 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e ainda detém o maior número de publicações na plataforma Sucupira.

FOTO: JOELMA SANMELO/UEA

você pode gostar também