Duas toneladas de carvão vegetal apreendidas em operação deflagrada na capital são doadas a instituições assistenciais

A Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), realizou, nesta segunda-feira (22/10), a doação de duas toneladas de carvão vegetal apreendidas durante a primeira fase da operação “Ouro Negro”, deflagrada na manhã de hoje pela unidade policial.

O material apreendido, por apresentar situação documental irregular, foi encontrado em um depósito situado na rua Jacuns, bairro Novo Aleixo, zona norte da capital. Os trabalhos foram coordenados pelas delegadas Carla Biaggi e Osmara Correa, titular e adjunta, respectivamente, da Dema.

De acordo com Biaggi, a mercadoria apreendida foi doada às seguintes instituições filantrópicas: Casa da Criança, Lar das Marias, Fazenda da Esperança e Lar Batista Janell Doyle. A titular da Dema afirmou, ainda, que a operação teve por objetivo principal o combate ao crime ambiental relacionado ao depósito e comércio ilegal de carvão.

Operação ‘Ouro Negro’ – Conforme Carla Biaggi, as diligências foram iniciadas a partir de uma denúncia anônima feita à equipe da especializada, informando o comércio ilegal de carvão em um depósito no bairro Novo Aleixo.

“Ao chegarmos no local indicado, encontramos o carvão vegetal sem licença do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). Na ocasião, o locatário do imóvel, Valdeir Cortez da Silva, 30, foi preso em flagrante pelo delito. Identificamos, ainda, que o locatário já é reincidente na prática de crime ambiental”, informou Biaggi.

Valdeir foi autuado em flagrante por crime ambiental. O homem assinou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pela prática ilícita. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial, ele foi liberado e responderá ao processo em liberdade.

FOTO: DIVULGAÇÃO/ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA PC-AM