Dupla envolvida em homicídio ocorrido na avenida Djalma Batista é presa

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) cumpriu mandados de prisão temporária, com prazo de 30 dias, por homicídio, em nome de Heitor Santos da Silva, 29, e do cunhado dele, Jander da Costa Figueiredo, 43, envolvidos na morte de Pedro Cordeiro de Menezes. A vítima tinha 39 anos.

De acordo com o delegado Orlando Amaral, titular da unidade policial, o crime ocorreu no dia 25 de setembro deste ano, em frente a um cartório na avenida Djalma Batista, bairro Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul da cidade. Na ocasião, Pedro foi abordado em via pública por um indivíduo, até o momento não identificado, que estava portando uma arma de fogo e efetuou disparos em direção à vítima, atingida na cabeça. Em seguida, o infrator empreendeu fuga do local, em um carro da montadora Ford, modelo Fiesta, de cor prata, pertencente a Heitor e conduzido, na ocasião, por Jander.

“No decorrer das investigações em torno do caso, que também foram comandadas pelo delegado adjunto da DEHS, Walter Cabral, identificamos que Jander colaborou com a fuga do autor do crime, utilizando o carro de Heitor. O automóvel em questão foi vendido dias depois do delito. Jander e Heitor não querem delatar quem foi a pessoa que atirou na vítima. Acreditamos que essa situação não seja apenas relacionada a uma dívida de prestações de carro que Pedro tinha, por isso estamos engajados na elucidação do caso”, informou Amaral.

Walter Cabral, um dos responsáveis pelo direcionamento das investigações, explicou que tanto os infratores, como a vítima, atuavam na venda e compra de veículos. Conforme Cabral, Pedro adquiriu um veículo da marca Volkswagen, modelo Voyage, e tinha por obrigação pagar as prestações pendentes do automóvel, porém, repassou o carro para terceiros sem o conhecimento da pessoa que o automóvel estava no nome.

“Esse comprador vendeu esse veículo para Jander, que também não ficou com o carro. Jander alega não saber para quem vendeu o veículo. Ele omite totalmente onde está o carro e isso acabou gerando uma desconfiança. No dia do crime, todos que estariam previstos para resolver a questão da dívida do veículo compareceram, exceto Jander. Foi a partir disso que a investigação tomou outro rumo”, esclareceu Cabral.

De acordo com Orlando Amaral, a equipe da DEHS efetuou a prisão da dupla na manhã desta terça-feira (6/11), por volta das 6h, em um conjunto habitacional situado na avenida Conquista, bairro Lago Azul, zona norte da capital. Amaral argumentou que, durante depoimento na delegacia, os infratores negaram participação no crime. Heitor informou que vendeu o veículo dele, mas alega não saber para quem.

As ordens judiciais, com prazo de 30 dias, por homicídio, em nome de Heitor e Jander, foram expedidas no dia 31 de outubro deste ano, pelo juiz Anésio Rocha Pinheiro, da 2ª Vara do Tribunal do Júri. A dupla foi indiciada por homicídio e irá permanecer nas dependências do prédio da DEHS, até o término dos procedimentos cabíveis. Orlando Amaral ressaltou que irá representar à Justiça o pedido de conversão dos mandados de prisão temporária em preventiva.

FOTO: ERLON RODRIGUES/ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA PC-AM