Take a fresh look at your lifestyle.

Durante encontro pedagógico, profissionais da educação recebem orientações acerca de estudantes com TDAH

-publicidade-

Foto: Eduardo Cavalcante/Asscom SEDUC

Reunindo coordenadores adjuntos pedagógicos, assessores pedagógicos das Coordenadorias Distritais de Educação, psicólogos e demais profissionais da educação, a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), promoveu nesta segunda-feira (10), o I Encontro com profissionais de Educação com a temática: “Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade: Desafio no contexto escolar”.

O encontro aconteceu no auditório do Instituto de Educação do Amazonas (IEA), no Centro, e teve como objetivo principal orientar os profissionais da educação sobre as estratégias e procedimentos necessários ao atendimento do aluno diagnosticado com o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).

O evento foi marcado pelas palestras da médica Lívia Vianez; da psicopedagoga Rita de Cássia Almeida; da psicóloga Adriana Melo Magalhães; além de oficinas e estudos de caso sobre o tema.

Déficit de Atenção

De acordo com a gerente de Atendimento Educacional Específico, Lenice Salerno, a proposta do encontro é orientar os professores a identificarem os estudantes que possuem esse transtorno, a fim de que o aluno tenha um atendimento adequado.

“O TDAH é um transtorno que não caracteriza deficiência no estudante, no entanto, é responsável por promover alterações no comportamento, o que influencia o seu nível de atenção e consequentemente o seu rendimento escolar. A intenção desse encontro é orientar professores para que possam identificar o transtorno e comunicar os pais, para que estes possam levar a criança a um neurologista e este, por sua vez, emita um laudo médico que caracterize o transtorno. Assim, o estudante terá um atendimento mais especializado na escola”, explicou a gerente.

Segundo a psicóloga Adriana Melo Magalhães, que atua na Escola Estadual de Atendimento Específico Mayara Redman, os estudantes que possuem TDAH precisam de um cuidado especial da escola para que possam avançar em sua formação acadêmica.

“O aluno com TDAH possui sintomas como déficit de atenção, hiperatividade e a impulsividade e concomitante a isso, eles apresentam comportamentos que podem aparecer e ser recorrentes durante toda a infância e adolescência. Esse é um transtorno muito sério, que precisa de um olhar da escola com muita profundidade para que essa criança tenha condições, assim como todas as outras, de aprender e concluir os níveis da educação básica”, afirmou a psicóloga Adriana Melo.

A programação do encontro foi coordenada pelas Gerências de Ensino Fundamental I e II; Gerência do Ensino Médio; Gerência de Atendimento Educacional à Diversidade; Gerência de Atendimento Educacional Específico e Gerência de Atendimento Escolar Indígena, que fazem parte do Departamento de Políticas e Programas Educacionais da SEDUC.

A gerente do Ensino Fundamental I da SEDUC, professora Nelyzabel Carneiro, destacou a importância da participação dos profissionais da educação no encontro. “A partir desse encontro, os professores estão melhor instruídos para lidarem com estudantes que possuem o transtorno, pois se a criança está com dificuldades de aprendizagem, está tendo um comportamento diferente, isso precisa ser investigado e com essas orientações, os professores terão melhores condições de atuarem em sala de aula”, contou.

-publicidade-