Take a fresh look at your lifestyle.

Editora Positivo concorre com quatro obras entre os finalistas do Prêmio Flipoços

-publicidade-

O Prêmio Literário Flipoços, uma iniciativa do Festival Literário de Poços de Caldas, divulgou os finalistas nas categorias Literatura Infantil e Literatura Juvenil. A Editora Positivo é a editora com maior número de obras na reta final: entre os onze finalistas, quatro livros são da Editora. Na categoria Infantil, faixa etária de 7 a 9 anos, o livro Achando a chave, de Álvaro Faleiros e Fernando Vilela é um dos finalistas. Na categoria Juvenil, as obras são: A rede florida, de Graziela Bozano Hetzel e Anna de Cunha Teixeira; Projetos e presepadas de um curumim na Amazônia, de Edson Kayapó, e Rabiscos, de Luís Augusto Campello Dill e Fernando Vilela. A premiação será realizada em março.

Achando a Chave

Recomendado a partir de 3 anos

48 páginas

Com muito humor e criatividade, Álvaro Faleiros desafia os leitores a encontrar as rimas que dão acesso aos cômodos da casa. Ilustrado por Fernando Vilela, Achando a chave é uma obra repleta de adivinhas que oferece uma divertida e inteligente brincadeira com as palavras.

A Rede Florida

Recomendado a partir de 10 anos.

60 páginas

A obra da carioca Graziela Bozano Hetzel, com ilustrações de Anna Cunha, conta a história de Maria Rosa, uma adorável menininha que vive uma vida tranquila com os pais. Como toda criança, frequenta a escola, gosta de brincar, de ler e de ouvir histórias. Mas a data de seu aniversário chega trazendo, com a festa, algumas surpresas: a menina recebe da mãe e do pai uma dolorosa notícia, que aos poucos se acomoda em seu coração e se transforma em mais um espaço de afeto. Como a irmãzinha de sua colega Natália, Maria Rosa descobre que é filha adotiva de seus pais e que essa condição não quer dizer menos amor.

Rabiscos

Recomendado a partir de 11 anos.

96 páginas

O escritor Luís Dill e o ilustrador Fernando Vilela retratam a angústia de um menino, sentado no corredor de um hospital, tentando entender o que o espera. Nesse tempo, observa o que acontece ao seu redor. Sozinho, sentindo frio – ele e a mãe saíram de casa às pressas, após um telefonema –, com uma caderneta azul nas mãos, ele escreve-desenha-conta sua história, a da mãe grávida e a do padrasto, um motoboy que acaba de sofrer um acidente. Silenciosamente, cuida de seus medos e tenta não se sentir tão só naquele lugar vazio e gélido, ao mesmo tempo que pensa em sua vida. Rabiscos é uma narrativa sensível em que texto, imagens e projeto gráfico contam juntos pequenos momentos de solidão e de descobertas de seu narrador.

Projetos e presepadas de um curumim na Amazônia

Recomendado a partir de 11 anos.

48 páginas

Em uma narrativa autobiográfica que celebra os caminhos que a vida ofereceu ao menino que conta sua história, o leitor é convidado a acompanhar a saída de uma criança indígena, um curumim, de sua aldeia no Amapá com destino a um colégio interno religioso no interior do Pará. A narrativa traz a longa viagem de barco pelo rio e da aventura em um ônibus na esburacada e enlameada Transamazônica, além das brincadeiras não permitidas pelo colégio – os projetos –, necessárias para suportar a rotina rigorosa de estudos e trabalho na instituição e a saudade da infância livre nas matas onde vivia com a família.

-publicidade-