27.3 C
Manaus
sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Educação antirracista no Brasil: desafios e necessidades urgentes

São Paulo, novembro de 2023 – Uma pesquisa realizada pela Nova Escola, em parceria com diversas instituições, revela um cenário preocupante de racismo nas escolas brasileiras. O estudo mostra que 70% dos professores já vivenciaram ou presenciaram situações de racismo nos últimos cinco anos, com 50% relatando que o racismo é extremamente presente em seus locais de trabalho. Mais da metade (56%) dos professores negros se sentiram vítimas de discriminação racial e preocupados com sua integridade física, moral e profissional.

Apesar de 87% dos educadores reconhecerem a importância da educação antirracista, apenas 5% afirmam que há iniciativas totalmente implementadas nas escolas. A pesquisa identifica estudantes e seus familiares como os principais autores de atos racistas, com os estudantes sendo as vítimas mais frequentes.

Educadores negros citam o racismo como o segundo maior problema de intolerância e discriminação, superado apenas pelo bullying. A pesquisa aponta para uma lacuna significativa no preparo dos educadores para lidar com questões raciais em sala de aula, com 62% dos professores se sentindo mal preparados para o tema.

As escolas, embora tenham iniciativas voltadas para a educação antirracista, estão em estágios iniciais ou intermediários em sua implementação. Há um reconhecimento da necessidade de envolver famílias, incluir o compromisso antirracista nos projetos pedagógicos, ter planos de ação para casos de discriminação e racismo, além de recursos didáticos específicos e palestras com especialistas.

A pesquisa, que ouviu 1.605 professores e gestores, também destaca a importância de autores negros e a história africana e afro-brasileira nas escolas, visando uma representação positiva e o combate ao racismo. A Lei 10.639, que obriga o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena, é conhecida por 94% dos professores, mas apenas 31% afirmam que está sendo aplicada de forma abrangente e efetiva.

Este estudo reflete a urgência de uma educação antirracista mais efetiva nas escolas brasileiras, abordando tanto o conhecimento como práticas pedagógicas consolidadas para enfrentar o problema. Instituições como a Nova Escola e o Instituto Vini Jr. continuam empenhadas em fortalecer educadores e transformar a educação pública, reforçando a necessidade de uma abordagem mais inclusiva e diversificada.

spot_img