Educadoras de Itacoatiara participam de residência com foco no desenvolvimento profissional dos trabalhadores da Educação

Equipe da EE Mirtes Rosa Mendes se destacou pelo protagonismo na superação dos desafios impostos pela pandemia

Um ensino que transforma e inspira. Este foi o motivo que levou três educadoras da Escola Estadual (EE) Professora Mirtes Rosa Mendes de Mendonça Lima, em Itacoatiara, a serem selecionadas para participar da Residência Iungo, espaço de interação entre profissionais da Educação Básica, com foco em ações de formação continuada baseadas na aprendizagem colaborativa, na produção e no compartilhamento de experiências e conhecimentos dirigidos à prática docente.

Do Amazonas, participam a gestora Fernanda Rodrigues de Souza e as professoras Heldenora dos Santos Moreira e Delma Marques Rocha Coelho. Juntas, elas se destacaram pelo protagonismo, empatia e capacidade de superação ao mobilizarem a comunidade escolar para superar os desafios da Educação na pandemia, como, por exemplo, o acesso restrito dos alunos à tecnologia para o ensino remoto.

“Ser residente Iungo é ser protagonista do nosso conhecimento, no qual podemos estar em uma comunidade de aprendizagem que contribui na nossa escola, transformando vidas e criando oportunidades para que nossos professores e alunos também sejam protagonistas do conhecimento”, explica a gestora Fernanda Rodrigues de Souza.

Na unidade escolar, as educadoras têm trabalhado, junto ao corpo docente, para engajar os estudantes e a comunidade escolar, por meio de comunicados da escola nas rádios locais, grupos de pais e alunos pelas redes sociais e visitas periódicas às casas dos estudantes para garantir a frequência nas aulas remotas. Ao final dos oito meses de residência, as educadoras irão apresentar o projeto em uma jornada formativa on-line, promovida pelo Instituto Iungo.

De acordo com a professora Delma Coelho, esta é uma oportunidade única para interagir com profissionais de outros estados. “Durante a residência, nós buscamos compartilhar nossas experiências e adquirir novos conhecimentos na prática docente, para aplicá-los em nossa escola”, afirmou a professora.

Multiplicadoras – Na Residência Iungo, as educadoras recebem uma formação qualificada, onde devem desenvolver um projeto formativo para estender essa oportunidade aos seus colegas. A proposta é pautada na aprendizagem baseada em projetos, alinhada ao Novo Ensino Médio e à realidade da escola e da comunidade.

Especialista em Tecnologia Educacional e graduada em Educação Física, a professora Heldenora dos Santos Moreira, que atua há 24 anos na rede estadual, explica que a residência permite ultrapassar barreiras geográficas. “Através dessa metodologia inovadora, teremos a oportunidade de integrar a pesquisa com a ação, de forma que ajudará no nosso desenvolvimento profissional”, finalizou.

Sobre o Instituto – O Iungo é um instituto sem fins lucrativos cujo objetivo é promover o desenvolvimento profissional de professores no Brasil. Ele aposta na potência transformadora dos educadores e gestores escolares e acredita que, juntos, pode-se construir uma Educação com mais significado e qualidade para os estudantes.

Com esse foco, o instituto promove formação docente, produz material didático e pedagógico e desenvolve pesquisas sobre a atuação docente e inovação em Educação. Para mais informações, basta acessar www.iungo.org.br ou entrar em contato pelo e-mail [email protected]

FOTO: Divulgação/Seduc-AM