Take a fresh look at your lifestyle.

Em Manaus, artistas preparam espetáculo de dança inspirado em realidade indígena

-publicidade-

Após dez dias de residência artística na Aldeia Indígena Saterê Mawé Sahu-Apé, localizada no quilômetro 37 da Rodovia Manoel Urbano, que liga Manaus ao Município de Manacapuru, as artistas Huana Viana e Francis Baiardi retornaram a Manaus e já iniciaram o trabalho de produção do espetáculo de dança “Aquele que vê longe – Apoena”. A estreia está prevista para novembro, em Manacapuru.

Contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015, o projeto é uma iniciativa das bailarinas e intérpretes Huana Viana, proponente do projeto, em parceria com Francis Baiardi, que assina a criação, produção e atuará no espetáculo. O projeto visa retratar a cultura ameríndia a partir da realidade sociocultural que o índio da Amazônia se encontra na contemporaneidade, levando em consideração as peculiaridades culturais da região. Além das apresentações, o projeto contempla palestras e debates em Manaus, Manacapuru e Itacoatiara.

Huana conta que dividiu com os índios saterês a rotina na aldeia. Segundo a bailarina o espetáculo de dança contemporânea fala do indígena na atualidade, o lugar dele na sociedade atual. “A simplicidade é parte da realidade no cotidiano da aldeia. A pureza e a espontaneidade estão presentes no olhar e no corpo que fala de cada criança. Apesar de tudo, das dificuldades e de tudo mais, percebo a luta por afirmação de um povo que é desvalorizado pela região e pelos turistas”, ressalta.

A produtora Cléia Alves também participou da residência artística na Aldeia Sahu-Apé. “Esses dias em que estivemos lá foram de aprendizado, partilha, compartilhamento de momentos de sensibilização, carinho, amizade e muita generosidade. Percebi que precisamos estar mais conectados com a cultura ameríndia. Precisamos entender da nossa cultura para não sermos estrangeiros no nosso país”.

Espetáculo

Diretora do espetáculo, Francis Baiardi destaca que na aldeia foram realizadas uma série de atividades, como o “momento partilha”, “roda de diálogos”, oficinas e a encenação de três cenas do espetáculo solo de dança “Dinahí”, da Contem Dança, apresentado por ela.

Agora, a equipe prepara a montagem e a estreia está prevista para o dia 27 de novembro, em uma escola de Manacapuru. Na sequencia, no dia 1 de dezembro, o projeto será apresentado em Itacoatiara.

-publicidade-