Em suas três fases, Prosamim já construiu mais de 180 km de redes de coleta de esgoto na capital

Com a nova fase do programa, o Prosamin+ vai contemplar a zona leste com investimentos de 542 milhões e mais 48 km de novas redes de esgoto

Com a proximidade da conclusão da sua terceira fase, inauguração da sua primeira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e o anúncio de investimentos de 542 milhões em uma nova fase do programa na zona leste, o Governo do Estado ressalta a contribuição do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) no saneamento na capital com 180 quilômetros já construídos de rede de coleta de esgoto, desde sua concepção.

Segundo o coordenador executivo da UGPE, o engenheiro civil, Marcellus Campêlo, a contribuição do Prosamim para a capital na área do saneamento básico é considerável, pois com o início da operação da (ETE) a capital vai dar um salto na coleta e na destinação adequada dos efluentes de quase 200 mil pessoas.

“O Governador Wilson Lima marca sua gestão com a destinação adequada dos efluentes coletados pelas redes construídas em quase 20 anos de Prosamim, a construção e o início da operação da primeira ETE e a expansão do modelo de sucesso de suas intervenções para a zona leste da capital serão o legado da sua gestão”, afirmou Campêlo.

Com a nova fase do programa, o Prosamin+ vai contemplar a zona leste com investimentos de 542 milhões e mais 48 Km de novas redes de esgoto, o que somará 228 Km de rede de coleta de esgoto construídos pelo programa.

Contribuição – O programa teve sua concepção iniciada em 2003, com a realização dos primeiros estudos e em 2006 com a assinatura do primeiro contrato de financiamento com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O Prosamim nasceu com o objetivo de contribuir para a solução dos problemas ambientais, urbanísticos e sociais que afetam a cidade.

Na primeira fase do programa, durante o Prosamim I e Suplementar, foram construídas 66 km de rede e seis estações elevatórias, as redes de coleta da primeira fase do programa englobam os igarapés Mestre Chico, Manaus, Barcelos e Bittencourt.

Já na segunda fase, durante o Prosamim II, foram executados mais 85 km de redes coletoras de esgoto e uma elevatória de esgoto provisória nos bairros Cachoeirinha, Raiz e Crespo.

Chegando em sua terceira fase, o Prosamim executou mais 32 km de rede de coleta e seis estações elevatórias de esgoto nos bairros do centro, Aparecida, Presidente Vargas, Glória, São Raimundo e Santo Antônio.

O Prosamim III está construindo a primeira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do programa, localizada no bairro educandos que, somada com as outras intervenções de saneamento básico construídas nas suas primeiras fases, expande consideravelmente a coleta e o tratamento de esgoto na capital.

Além de realizar estudos, elaborar projetos de infraestrutura, saneamento e habitação, a Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) também vem realizando o repasse das obras de esgotamento sanitário do Prosamim para o Município, que era um passivo antigo de administrações anteriores.

Após o início da operação da ETE do Prosamim e o pleno funcionamento dos mais de 180 km de redes de esgoto, a cidade de Manaus ultrapassa os atuais 22% de coleta para 30% com a entrada das estruturas do Prosamim I, II e III.

Repasse de obras – O Governo do Estado repassou as obras de esgotamento sanitário para o Município. Os repasses são frutos do fortalecimento institucional, os quais visam que as obras de saneamento básico tenham monitoramento.

Em novembro de 2020 foram repassados ao município as obras de saneamento básico da terceira fase do programa. Em 2021, o município, que é o responsável pelos serviços de abastecimento de água e tratamento de esgoto, recebeu as obras das duas primeiras fases do programa.

FOTO: Tiago Corrêa / UGPE