Empresa do Amazonas se prepara para exportar polpas de frutas para o mercado asiático

A empresa UNIFRUIT Polpas das Amazônia, que tem sede na comunidade Novo Remanso, em Itacoatiara, está apostando no mercado asiático para iniciar a exportação dos seus produtos. A UNIFRUIT é uma das 151 empresas amazonenses apoiadas pelo Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX), que é desenvolvido, no Amazonas, pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex – Brasil), em parceria com a UniNorte.

Nesta quinta-feira (25), representantes da Apex – Brasil e da UniNorte, centro universitário integrante da rede internacional Laureate, apresentaram o balanço final das ações desenvolvidas pelo programa. Participaram do evento, o coordenador de Competitividade da Apex-Brasil, Rafael Porto, a coordenadora do PEIEX no estado, Olinda Marinho, a gerente da Escola de Negócios e Hospitalidade da UniNorte, Maria Leônia do Vale, membros do comitê PEIEX/PNCE e empresários.

Das empresas qualificadas pelo PEIEX, 20 já estão aptas a ingressar no mercado internacional, 17 estão concluindo o pedido de certificação para exportação para outros países, e as demais estão em fase de ajustes finais.

Segundo Claudiomar Mendonça, diretor da UNIFRUIT, umas das empresas que está apta a ingressar no mercado internacional, a ideia de produção de polpas de frutas surgiu em 2006, devido ao aumento do plantio do abacaxi, na comunidade Novo Remanso. Em 2011, a fábrica começou a operar atendendo o mercado local. “Em 2004, eram colhidos cinco milhões de frutos por ano. Hoje, são 70 milhões. Diante desse crescimento e também por conta da incorporação de novas culturas de plantio, como cupuaçu e acerola, decidimos investir no mercado internacional”, afirmou.

O foco da exportação são os países asiáticos. “Já participamos de feiras de negócios em vários países e percebemos que na Ásia tem grande potencial para receber as polpas de frutas que produzimos”, disse. No próximo mês, a UNIFRUIT irá apresentar os produtos no evento International Import Export (CIEE), em Xangai, na China.

De acordo com Claudiomar, o apoio do PEIEX no processo de adequação da empresa para atender o mercado internacional, foi imprescindível. “Tínhamos o desejo de exportar para outros países, mas não sabíamos como fazer. Com a ajuda dos técnicos do programa, que ajudaram em relação à documentação, certificação e apresentação do produto, hoje a UNIFRUIT está preparada para alcançar voos mais altos”, ressaltou. A expectativa é que, em 2019, as polpas de frutas UNIFRUIT já estejam sendo vendidas em outros países.

Assessoria – A coordenadora do PEIEX no Amazonas, Olinda Marinho explica que os técnicos que prestam atendimento às empresas são especialistas com formação superior e pós-graduados. Ele assessoram as empresas nas fases de diagnóstico, implementação de melhorias e avaliação. A elaboração de cada diagnóstico leva de dois a três meses por empresa, com acompanhamento durante a implantação das melhorias, que podem variar desde a indicação de busca por soluções gerenciais internas a ações externas relativas ao acesso a novos mercados e adequação de produto.

O PEIEX, coordenado pela Apex-Brasil e executado em 16 estados com o apoio de parceiros, atende a uma necessidade de qualificar as empresas brasileiras, em especial as pequenas e médias, para que possam melhor enfrentar a concorrência no mercado internacional.

Além da UNIFRUIT, a empresa Biozer da Amazônia, que desenvolve produtos como sabonetes, óleos, cremes, hidratantes e alimentos funcionais à base de matérias-primas naturais, também apresentou case no evento. Desde sua adesão ao PEIEX, a Biozer teve participação ativa em todas as atividades proporcionadas pelo programa, buscando seguir as orientações realizadas. A empresa já está com todas as licenças para exportar para os países da América Latina.

A empresa Magiclean, especializada em produtos à base de açaí e castanha, também participou do PEIEX e já está apta para a exportação. A empresa participou das atividades de qualificação, inclusive de reuniões no escritório da Apex-Brasil em Miami, para entender os hábitos de consumo do público local.

A empresa Magiclean, especializada em produtos à base de açaí e castanha, também participou do PEIEX e já está apta para a exportação. A empresa participou das atividades de qualificação, inclusive de reuniões no escritório da Apex-Brasil em Miami, para entender os hábitos de consumo do público local.