Take a fresh look at your lifestyle.

Enem: provas de Matemática e Ciências da Natureza exigem cada vez mais interpretação de texto

-publicidade-

Com menos cálculo, segundo dia de prova traz Harry Potter e conteúdos relacionados ao dia a dia dos estudantes

O segundo dia de prova do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), realizado no último domingo (24), exigiu do estudante mais interpretação de texto do que cálculos. Em geral temido por boa parte dos estudantes, o segundo dia do exame traz as provas de Matemática e de Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física). E, ao contrário do que muitos esperavam, desta vez foi preciso compreender mais os conceitos presentes nos textos-base e nos gráficos do que fazer cálculos.

De acordo com o assessor pedagógico de Química do Sistema Positivo de Ensino, Flávio Barbosa, a prova em geral trouxe questões que exigiram do aluno muita atenção ao enunciado e a correta interpretação do texto. “Em Química, tivemos apenas duas questões envolvendo cálculo, o que mostra que a importância dos conceitos envolvendo a disciplina está muito mais presente no Enem do que era anteriormente. Foi uma prova que beneficiou o estudante que leu bastante e que entendeu todos os conceitos estudados”, afirma Barbosa.

Para o educador, o estudante que quer fazer uma boa prova, mesmo no caso das provas de exatas, tem que ler muito e se preparar para interpretar corretamente o que se pede nos textos-base das questões. “Isto ficou muito claro, uma prova que exigiu que o estudante tivesse as habilidades necessárias para interpretar o mundo à sua volta, não bastando decorar um conceito, e sim entendendo que esse conhecimento adquirido está dentro de um contexto. E no caso do Enem, normalmente, todas as respostas fazem sentido, têm alguma relação com o texto-base, por isso é preciso tanta atenção ao enunciado e ao que se pede exatamente no texto”, alerta.

Na prova de Física, uma das mais temidas pelos estudantes, as questões seguiram a mesma proposta. O assessor pedagógico de Física do Sistema Positivo de Ensino, Danilo Capelari, também confirma que os cálculos foram deixados em segundo plano. “Das 17 questões de Física, a maioria era de nível fácil para médio, sendo possível resolver com pouco ou nenhum cálculo”, conta. As provas deste último domingo também privilegiaram conteúdos relacionados a situações do dia a dia dos estudantes. “Vimos muitas questões contextualizadas, apresentando situações do dia a dia. Questões abordando o cotidiano, envolvendo o funcionamento da panela de pressão, de sincronização de semáforo, funcionamento do fone de ouvido com redutor de ruído, consumo de combustível e até despesas do orçamento familiar”, destaca Capelari.

Em Matemática, a prova trouxe várias questões que exigiam a análise de gráfico, além de geometria e porcentagem. O assessor pedagógico de Matemática do Sistema Positivo de Ensino, Willian Brito, afirma que foi uma prova que exigiu muito raciocínio e valorizou o aluno que fez uma preparação completa. “Quem estudou bem os conceitos e usou estratégias para interpretar corretamente o enunciado das questões, certamente conseguiu garantir um bom desempenho”, afirma Brito. A prova mencionou ainda personagens populares em todo o mundo. Uma questão de matemática, por exemplo, abordou um anagrama (quando a reorganização das letras de uma ou mais palavras forma outra palavra ou frase) da série de livros e filmes Harry Potter. A interdisciplinaridade também foi destaque. “A prova trouxe conceitos e questões que dialogavam entre si. Química relacionada com a Biologia; Meio Ambiente presente em várias questões. E, às vezes, a resposta de uma questão estava no texto-base de outra”, explica Barbosa.

O gabarito extraoficial das provas está disponível no site do Sistema Positivo de Ensino http://conteudo.ensinopositivo.com/gabarito-enem .

Foto: Divulgação

-publicidade-