Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Equipe do DRCO prende grávidas e mulher com recém-nascido investigadas por tráfico de drogas

Anna Railany de Souza
Anna Railany de Souza

Policiais lotados no Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) prenderam na tarde de quarta-feira, 13, por volta das 15h, Anna Railany de Souza Ribeiro, 26; Thayana Coelho de Oliveira, 22; e Jéssica de Jesus da Silva, 28. As duas primeiras foram autuadas por tráfico de drogas, associação para o tráfico e receptação. A última responderá por tráfico de drogas e associação.

Thayana Coelho de Oliveira
Thayana Coelho de Oliveira

A prisão de Jéssica ocorreu no Porto da Ceasa, localizado na zona Sul de Manaus. A mulher levaria para o município de Careiro Castanho, distante 102 quilômetros em linha reta de Manaus, meio quilo de droga escondido dentro da bolsa do filho dela, um bebê de um mês, que estava com ela no momento da abordagem. Anna, grávida de quatro meses, e Thayanna, com dois meses de gestação, foram presas em uma residência localizada na Rua 11 do bairro Alvorada 1, zona Centro-Oeste.

Jéssica de Jesus da Silva
Jéssica de Jesus da Silva

De acordo com o diretor do DRCO, delegado Rafael Allemand, as prisões aconteceram após interceptação telefônica autorizada pela Justiça. “As investigações foram iniciadas após o roubo de um celular, que estava sendo usado por Anna. A mulher usava o aparelho para se comunicar com o marido dela, conhecido como “Magrelo”, que está preso por tráfico de drogas. Nos áudios pudemos acompanhar as conversas deles sobre a distribuição de entorpecentes”, explicou.

Conforme a autoridade policial, Anna teria oferecido R$ 50 para Thayana ir até o Porto da Ceasa entregar a droga para Jéssica, que faria o transporte até o município de Careiro Castanho. Contudo, os investigadores foram até o local e lá identificaram Jéssica. Eles ainda seguiram Thayana até a residência de Anna e as duas confirmaram envolvimento na prática ilícita.

Ao término dos procedimentos da unidade policial, as mulheres foram encaminhadas ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde ficarão à disposição da Justiça.

-publicidade-