Professores, administrativos, serviços gerais e manipuladoras de alimentos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Paulo Herban Jacob, bairro Terra Nova 2, zona Norte de Manaus, participaram nesta sexta-feira, 14/6, da oficina pedagógica sobre o projeto de engajamento familiar do Programa Avançado de Implementação de Políticas Públicas (Appi). A ação é desenvolvida pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), que chegou à quarta fase e agora conta com a participação de toda comunidade escolar.

Nesta fase, a equipe de governança, composta pela gestora, pedagoga e uma professora, repassa todas as informações do projeto para os membros da escola, que também se dividem por estações de trabalho para desenvolver atividades. As ações são sobre o “Desenvolvimento integral da primeira infância, Leia para uma criança, Engajamento familiar, Comunidade de aprendizagem e a Participação da família na Educação Infantil”. Ao final dos trabalhos, os grupos compartilham as experiências, obedecendo ao tempo de apresentação.

O Cmei atende 325 crianças no 1º e 2º períodos e, de acordo com a gestora da unidade, Nívia Rodrigues, o momento serve também para que haja uma reflexão sobre as ações da escola e de que forma é possível envolver os pais e os responsáveis na vida escolar dos filhos.

“É muito importante ter os pais e responsáveis envolvidos de fato nas atividades que auxiliam no desenvolvimento escolar do aluno e o projeto traz essa base para os professores e para todos que fazem parte da escola. Esse é um momento de leitura e reflexão das nossas ações”, comentou Nívia.

Para o professor do 2º período, Amauri Miranda, a educação não acontece somente dentro da sala de aula, mas é necessário haver a união entre comunidade escolar e família. “É necessário trazer os pais para dentro da escola, para a sala de aula, e mostrar como a educação acontece. Muitos não entendem como funciona a aprendizagem na educação infantil. Com a participação deles, estaremos explicando de forma concreta que o brincar, o cantar, o pular, o desenhar é uma forma de ensinar e que eles também podem fazer isso em casa”, explicou o professor.

Edineia Matos, que trabalha como serviços gerais, disse que muitas crianças vêm de casa com hábitos inadequados e acabam aprendendo o certo na escola.

“A gente recebe crianças com vários hábitos, como deixar a torneira aberta e jogar lixo no chão. Com o projeto, os pais entenderão que toda a escola é envolvida na educação dos alunos e juntos vamos trabalhar para formar pessoas do bem”, mencionou Edineia.

O APPI

O engajamento familiar foi apresentado dentro do Appi, pela secretária da Semed, Kátia Schweickardt, e pela subsecretária de Gestão Educacional, Euzeni Trajano. A formação, sem custo aos cofres públicos, envolveu seis cidades, entre elas Manaus, e aconteceu por meio do apoio da Teachers College, da Universidade de Columbia, em Nova Iorque, e em parceria com as fundações Itaú Social, Lemann, Maria Cecília Souto Vidigal e Getúlio Vargas.

A secretária da Semed, Kátia Schweickardt, participou na última quarta-feira, 12/6, de uma oficina sobre o programa que envolveu gestores e pedagogos das 15 creches, e destacou a importância em estender o projeto às creches, com as crianças de 0 a 3 anos, que é a fase onde inicia a formação e os aspectos cognitivos do indivíduo.

“O investimento na educação começa na primeira infância, com as crianças da educação infantil, por isso decidimos traçar uma estratégia que envolva toda a comunidade, entre os pais e os professores. Somado a isso, a Prefeitura tem investido em infraestrutura, formação de professores e conteúdos de aprendizagem, como determina o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto”, explicou a secretária.

Texto – Érica Marinho / Semed
Foto – Alexandre Abreu / Semed