O Lar de Idosos São Vicente de Paulo, no bairro de São Raimundo, Zona Centro-Oeste e Lar de Sheila, no bairro da Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste e a Casa Sarah, no município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus), receberam um total de 592 quilos de alimentos não perecíveis da Escola Superior da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (ESUDPAM).

Os alimentos foram arrecadados durante os processos de inscrição para o Processo Seletivo (PSE) de estagiários de curso de Direito para a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), explicou a defensora Manoela Cantanhede Veiga Antunes, lembrando ter sido feita a seleção das instituições sociais mais carentes para receber os alimentos.

O Lar São Vicente de Paulo recebeu da ESUDPAM um total de 230 quilos de alimentos não perecíveis como arroz, feijão, farinha etc. A instituição abriga 27 idosos, os quais ou perderam o vínculo com a família ou ainda mantêm, mas não podem viver juntos, informou a diretora da casa, Flora Paes de Souza. “Fico muito agradecida com essa lembrança, porque nós precisamos sempre desse tipo de ajuda”, afirmou Flora. O lar é uma Organização Não-Governamental, funciona há 39 anos abrigando idosos em situação de vulnerabilidade social ou abandonados pela família. Sobrevive a partir de convênios e doações.

A Casa de Sheilla, situada no bairro Colônia Antônio Aleixo, recebeu 240 quilos de alimentos não perecíveis da ESUDPAM. A instituição beneficente é destinada a atender famílias do bairro, onde é elevado o índice de tráfico e uso de drogas. “Essa condição exige um trabalho voltado para amparar as famílias não só com ações sociais, mas também com cursos profissionalizantes, alfabetização de crianças e educação moral e cívica”, afirmou a diretora da entidade, Tânia Maria Mota Vieira, uma contadora aposentada, que junto ao marido, hoje falecido, decidiu parar de ser observadora para tentar mudar um pouco essa realidade.

“Nós atendemos às sextas, sábado e domingo tanto crianças, jovens, adultos e idosos em várias atividades e fornecemos alimentação no horário em que estão na casa, que está sendo reformada. Vai ser um alívio para nós essas pessoas que nos procuram”, disse ela. Durante a semana, são oferecidos cursos profissionalizantes de costura e horta comunitária, entre outros.

E a Casa de Sara é uma associação de mulheres ribeirinhas, no Iranduba, recebeu 122 quilos de alimentos. A entidade trabalha com 23 comunidades espalhadas em seis ilhas do município há 14 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here