Take a fresh look at your lifestyle.

Escritor lança livro ‘Minha Vida Está Uma Merda (Mas Não Precisa Ser)’

-publicidade-

O que fazer quando você não tem mais 20 e poucos anos e seus sonhos não se realizaram? Ninguém distante dos 40 anos quer pensar no assunto. É a fase em que o ser humano se depara com suas limitações, com a redução de possibilidades e, muitas vezes, a insatisfação com os rumos tomados na vida. Esse foi o caso do escritor brasiliense Guímel Bilac, que resolveu transformar em livro a crise existencial trazida pela idade. A obra intitulada “Minha Vida Está Uma Merda (Mas Não Precisa Ser)” está em pré-venda no site: www.eviseu.com.

Bilac é divorciado, pai de três filhos do seu único casamento. Filho de um militar piauiense e de uma paraense, nasceu em Brasília e cresceu em uma família de seis irmãos, com uma vida itinerante, morando em várias cidades do Brasil. Voltou a ter moradia fixa na capital federal no final dos anos 90, de onde não saiu mais.

Apesar de escrever poemas desde a adolescência, a ideia para o primeiro livro veio bem mais tarde. “Em 2007, numa viagem para trabalhar em um retiro para casais, estávamos eu, na época com 31 anos, e um amigo que tinha 42. No meio da viagem, ele se abriu sobre o fato de ter 42 anos, não ter alcançado tudo o que queria alcançar e, para meu susto, chegar àquela etapa da vida sem ainda saber o que queria. Tive muito medo, quando ouvi aquilo. E pensei: ‘Meu Deus! Não quero chegar aos 40 assim, não!’. Acontece que, 12 anos depois, em uma manhã nublada de dezembro, me deparei comigo mesmo diante do espelho, com cabelos brancos que não tinha, naquela conversa, em 2007, e com frustrações que jamais imaginei ter aos 42 anos de idade”, conta.

Muitas pessoas experimentam uma crise de meia-idade quando completam 40 anos. Ao perceber que a passagem do tempo é uma parte inevitável e inerente da condição humana – e que não há nada que se possa fazer para escapar dela – é comum fazer uma reavaliação, mas o resultado muitas vezes é frustrante. Uma das razões é a autocobrança para que, com esta idade, já se tenha alcançado a tão sonhada estabilidade profissional e pessoal.

Neste momento, é fácil cair em um ciclo vicioso e gastar muito tempo e energia pensando em tudo o que se fez até então, e como teria sido diferente ao escolher outro caminho. Para Bilac, essas reflexões renderam uma obra repleta de bom humor e muita sinceridade, que explora as dívidas, divórcios e fracassos da vida.

Segundo a própria descrição, “Minha Vida Está Uma Merda (Mas Não Precisa Ser)” é uma obra autobiográfica que, provavelmente, poderá ser encarada como um livro de autoajuda, mas que, ao contrário das outras, não traz nenhuma “fórmula” para mudança de vida. A proposta do livro é levar o leitor a enxergar cada problema que aconteceu em sua trajetória de maneira diferente e extrair uma lição que pode mudar o modo como ele encara sua vivência, principalmente quando uma nova crise acontecer no futuro.

Ao percorrer as 152 páginas da obra, o leitor se envolve em uma história que inclui corações partidos, perdão, saudade, família, entre outros temas. Mais que um livro sobre os problemas e percalços da vida, “Minha Vida Está Uma Merda (Mas Não Precisa Ser)” é um livro sobre não desistir, apesar de tudo.

Os interessados em conhecer mais do trabalho de Guímel Bilac podem encontrá-lo na plataforma Medium, onde ele mantém a página “Escala Pantone da Vida” com poemas e crônicas do cotidiano. O escritor também possui dois podcasts em plataformas de streaming de música, o Made in Brazil e o Máquina do Tempo, além de ser colaborador do podcast Poucas Palavras.

-publicidade-