Especialista responde dúvidas sobre diabetes

Brasil está em 4º lugar no ranking de portadores da doença

No dia Mundial do Diabetes (14/11), a Dra. Marise Lazaretti Castro, endocrinologista e diretora da Clínica Croce, responde a algumas dúvidas sobre a doença, que atinge cerca de 12 milhões de brasileiros, segundo dados apresentados no Atlas da International Diabetes Federation. Esse número representa quase 8% da população do nosso país, que é o 4º do mundo em números absolutos de portadores da doença. Globalmente, há 415 milhões de diabéticos, o que corresponde a uma pessoa em cada 11 habitantes.

A ingestão de muito doce pode causar diabetes?

Não, já que para a doença aparecer precisa ter pré-disposição genética e outras doenças associadas, como é o caso do excesso de peso no diabetes tipo 2. Dados do Ministério da Saúde de 2015, indicam que, no Brasil, 53% da população está acima do peso ideal, sendo 18% os obesos e 35% os indivíduos com sobrepeso.

O consumo do açúcar refinado não é recomendado para ninguém, pois induz uma sobrecarga muito grande de glicose no sangue, com consequências ruins para o organismo. Além disto, pelo excesso de calorias, os doces contribuem para o surgimento da obesidade, um dos principais fatores associados ao aparecimento do diabetes. Entretanto, apenas aqueles que têm predisposição genética acabam desenvolvendo o diabetes. Portanto, consumir açúcar exclusivamente, não leva à doença. Mas para quem tem diabetes, certamente há necessidade de controlar esse consumo.

Pessoas com diabetes são proibidas de comer massas em geral?

Não há proibições, desde que se respeite a quantidade e a frequência destes alimentos. Dar prioridade para os integrais pode auxiliar. O importante para esse paciente é o controle do nível da glicose para saber a porção certa desses alimentos a ser ingerida.

Diabetes tem cura?

Muitos estudos estão sendo realizados no mundo inteiro para a busca da cura, mas ainda não há provas, infelizmente. É preciso ficar atento às “fake news”, muito disseminadas nas redes sociais, falando sobre a cura do diabetes. É muito importante o acompanhamento com o especialista, que está apto a prescrever o tratamento e acompanhar o caso.

Sobre a Clínica Croce – Formada por especialistas da USP e UNIFESP, desde 1973 a Clínica Croce oferece diagnóstico e tratamento nas áreas de Alergia, Imunologia, Endocrinologia, Endocrinologia Pediátrica, Otorrinolaringologia e Reumatologia.

Fundada pelo Prof. Dr. Júlio Croce, um dos primeiros médicos da Universidade de São Paulo a fazer especialização no tratamento das doenças alérgicas no Brasil e um dos fundadores da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). Em 1998 ele passou a direção clínica para o Prof. Dr. Fábio F. Morato Castro, que implantou o Centro de Imunizações.