Especialistas e mulheres que venceram o câncer de mama falam sobre a doença

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama, o Millennium Shopping realizou uma roda de conversa com a presença de médicos, nutricionista, influenciadoras digitais, representantes de entidades e mulheres que superaram a doença. Após o evento, o público realizou uma caminhada e soltou balões para marcar o ponto alto da campanha Outubro Rosa.

“A ação já faz parte do calendário anual do Millennium Shopping e o nosso objetivo é informar ao público que visita diariamente o shopping e, principalmente, engajar cada vez mais mulheres e homens na luta contra o câncer de mama”, apontou a coordenadora de marketing do Millennium Shopping, Elizandra Xavier.

Na praça de alimentação do Millennium Shopping, a população pode acompanhar a roda de conversa com a oncologista e presidente do Lar das Marias, Adelaide Portela, o psicólogo Sandro Soares, a nutricionista Fernanda Piva, a fisioterapeuta e especialista em saúde da mulher, Ana Cláudia, o mastologista, professor e membro da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Bruno Monção, e mulheres que superaram a doença, a artista amazonense Fátima Silva e a publicitária Cassia Menini.

Durante o bate papo, o médico Bruno Monção alertou que o câncer de mama não possui uma causa única, mas sim, que, diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, como: idade (mulheres acima de 50 anos tem mais chances de desenvolverem a doença), fatores endócrinos e história reprodutiva (menarca precoce, menopausa tardia, primeira gravidez após os 30 anos, não ter filhos e fazer uso de reposição hormonal), fatores comportamentais e ambientais (ingestão de bebida alcoólica, sedentarismo, obesidade e tabagismo) e fatores genéticos e hereditários (mulheres com histórico de casos de câncer em familiares consanguíneos).

Entre os sintomas do câncer de mama está a presença de um caroço, pele da mama avermelhada, traída ou parecida com casca de laranja, alterações no mamilo, pequenos nódulos na região da axila ou no pescoço e saída de líquido anormal das mamas. “Essas alterações precisam ser investigadas pelo médico o quanto antes, mas podem não significar câncer de mama”, alerta Bruno Monção.

O autoexame das mamas mensal e visita anual ao médico para a realização dos exames de rotina são algumas das medidas que ajudam a detectar a doença ainda em fase inicial. A oncologista Adelaide Portela destaca que houve grandes avanços no tratamento do câncer, principalmente no acesso aos medicamentos, por isso, quanto antes o diagnóstico for feito, as chances de cura são bem maiores. “E o apoio da família e amigos é fundamental em todo esse processo”, apontou.

Ela conta que o Lar das Marias nasceu devido à necessidade desse acolhimento. Atualmente, a entidade atende cerca de 20 mulheres e seus acompanhantes, oferecendo hospedagem, com alimentação completa, agendamentos e traslado para as consultas, exames e tratamentos, além de acompanhamento de psicólogo e assistente social.

“Em 2015, descobri o câncer durante um exame de rotina, em seguida, meu namorado morreu veio o luto e a pausa nos cuidados, quando retornei ao médico, o nódulo evoluiu muito rápido e o médico disse para eu correr, tive que sair de Manaus urgentemente e consegui uma vaga no Hospital do Câncer de Barretos (SP) para iniciar meu tratamento”, conta a publicitária Cassia Menini, que recentemente refez os exames de rotina e está livre da doença.

Conhecida por sua voz única, a cantora Fátima Silva também foi vítima da doença. Há cerca de três meses, ela passou pela mastectomia, e ressaltou que o apoio dos especialistas foi fundamental para o tratamento. “Quando eu descobri a doença meu filho sofreu um acidente grave, acabei adiando os cuidados, depois perdi meu esposo. Com tudo isso, eu aprendi que a força de querer viver e estar bem vem de nós mesmos”, revela a artista.