Especialistas e pesquisadores debatem melhorias na produtividade e no meio ambiente na piscicultura amazônica

Estado com maior consumo individual de pescados no Brasil, a aplicação de novas tecnologias visando o crescimento da produtividade das espécies nativas mais comercializadas, aliada a preservação ambiental, são os temas do I Workshop Nacional Tecnologia de Bioflocos na Amazônia, promovido pela Universidade Nilton Lins, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) até a próxima sexta-feira (24).

Nesta terça-feira (22), segundo dia do evento que tem a participação de pesquisadores e profissionais de diversos estados, além de especialistas do Peru e do México, serão realizadas aulas práticas e teóricas sobre “Manejos em sistemas BFT” e “Viabilidade da produção em sistemas BFT: Avanços e perspectivas”.

Os bioflocos (ou Biofloc Technology, na sigla em inglês BFT) são tecnologias aplicadas na piscicultura para permitir que a água utilizada dure mais tempo que o normal, uma vez que em criações tradicionais, a troca precisa ser constante, possibilitando assim o desenvolvimento produtivo sustentável e a redução de custos, do uso de recursos hídricos e de impactos ambientais.

“A Universidade já desenvolve com o Inpa, e com outras instituições de ensino e pesquisa, projetos voltados para esta área que é de suma importância para a sociedade, uma vez que trata da melhoria da cadeia produtiva de alimentos, gerando inúmeros postos de trabalho diretos e indiretos, assim como para o futuro econômico do Amazonas, e de todo o Brasil”, acrescentou a reitora da Nilton Lins, Gisélle Lins Maranhão.

Programação

Na quarta-feira (23), acontecerá o lançamento das cartilhas “Comportamento agressivo e canibalismo em matrinxã” e do “Guia do

Consumidor para avaliação do frescor do pescado”, em solenidade com a participação da reitora Gisélle Lins, da diretora do Inpa, Antônia Franco, de Márcia Perales (presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas – Fapeam), Ronaldo Oliveira (coordenador de Zootecnia e Recursos Pesqueiros/CAPES) e do secretário estadual de Produção Rural do Amazonas, Petrucio P. de Magalhães Júnior.

Também na quarta-feira serão realizadas cinco palestras com destaque para “Histórico da Tecnologia de bioflocos no mundo”, com Wilson Wasielesky Junior, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e “Sistemas de bioflocos

na produção aquícola”, com Adriana Ferreira da Silva, da Universidade Autónoma de Yucatán, no México.

No dia seguinte (24), a programação contará com as apresentações “Legislação aquícola no estado do Amazonas”, com a especialista do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Raimunda Nonata Lopes, “Cultivo de espécies amazônicas”, com Luis Gonzales Callirgos, da empresa peruana Pucayagro e “Tambaqui em sistema de bioflocos”, com Cintia Nakayama, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), além de outras palestras e apresentações de trabalhos científicos.

No encerramento do Workshop, uma mesa redonda com a participação dos pesquisadores e especialistas Silvia Gallani, da Universidade Nilton Lins, e Elizabeth Gusmão, do Inpa, irá debater a produção em sistemas BFT como alternativa para a aquicultura na Amazônia.

Foto: Divulgação