Take a fresh look at your lifestyle.

Estudo aponta para a manutenção do equilíbrio atuarial da Manaus Previdência em 2019

-publicidade-

A avaliação atuarial do exercício de 2019 da Prefeitura de Manaus, na área previdenciária, aponta para um cenário de equilíbrio do Plano Previdenciário (PPrev). Em relação ao Plano Financeiro (PFin), há possibilidade de surgimento de alterações, dependendo do número de novas aposentadorias que serão concedidas ao longo dos próximos meses.

A análise e os números foram apresentados na tarde desta terça-feira, 26/3, pela diretora-presidente da Manaus Previdência, Daniela Benayon, a partir dos dados da Brasilis Consultoria, empresa que presta assessoria atuarial à autarquia.

“O resultado da avaliação é bastante detalhado e nos tranquiliza, à medida que a reserva matemática do PPrev apresentou um resultado técnico atuarial de equilíbrio, com superávit superior a R$ 14,6 milhões”, destacou Benayon. “Os números apontam que estamos gerindo de maneira adequada para manter o equilíbrio do sistema”.

Diante de um público formado pelos membros dos conselhos Municipal de Previdência (CMP) e Fiscal (Cofis), além de servidores da autarquia, o consultor Thiago Fernandes, da Brasilis, detalhou o cenário atuarial para este ano, tendo como base de dados a situação em 30/11/2018.

“E esse momento específico nos mostra que a previdência de Manaus tem, no Plano Previdenciário, suficiência financeira e atuarial, por ter um patrimônio constituído para pagar os benefícios desses exercícios”, disse Fernandes.

O especialista também apresentou os resultados do teste de aderência (adequabilidade de um modelo probabilístico a um conjunto de dados) das premissas da autarquia manauense. No caso da previdência, foram estudados pontos como a tábua de mortalidade, expectativa de vida, taxa de crescimento salarial e de juros do mercado financeiro.

“Para a adesão do órgão ao nível III do Pró-Gestão, do Governo Federal, tivemos que fazer um teste de aderência que envolvesse as premissas biométricas, financeiras e econômicas, incluindo o plano atuarial interno da Manaus Previdência, onde apresentamos os resultados das hipóteses de taxas de juros e crescimento salarial, como medida para aprovação à certificação previdenciária”.

Conforme Fernandes, o estudo também aponta mudança de rota caso haja alteração da premissa. “Nesse caso, é necessário definir qual premissa adotar dentro daquelas que correspondem à realidade do munícipio”, alerta. “Na exposição de hoje, só vamos apresentar os resultados e, a daí, colocar para deliberação posterior, para que em 2020 a autarquia já tenha uma deliberação de qual premissa vai ser adotada”.

— —

Texto: Marcia Claudia Senna / Manaus Previdência

Foto: Márcio James / Semcom

-publicidade-