O Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), promoverá nesta sexta-feira (28/09), das 9h às 12h, uma série de palestras informativas para comemorar o Dia do Portador de Marcapasso, celebrado no dia 23 deste mês. O objetivo é esclarecer sobre os principais dispositivos eletrônicos implantáveis cardíacos, suas indicações, cuidados pré e pós-operatórios, limitações, possibilidades de interferências eletromagnéticas, entre outros. O evento é aberto ao público e acontecerá no auditório da coordenação de Ensino e Pesquisa do HUFM, que fica localizado no bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus.

O chefe do Serviço de Eletrofisiologia e Marcapasso do Francisca Mendes, Jaime Arnez, explica que ainda há muitos mitos sobre o tema e esta é uma oportunidade de tirar as dúvidas. “Com o avanço da tecnologia, os dispositivos eletrônicos implantáveis tornaram-se mais fáceis, sem causar interferências no dia a dia do paciente que usa esses aparelhos. Eles podem praticar atividade física, utilizar celular, fazer ressonância magnética, enfim, todas as coisas que antes não podiam. Então, nesse evento estaremos fazendo esses esclarecimentos aos portadores de Marcapasso, suas famílias e demais interessados no assunto”, afirmou.

Arnez explica que os dispositivos eletrônicos implantáveis cardíacos são aparelhos usados para o tratamento dos distúrbios de ritmo do coração. O marcapasso é indicado para quem tem frequência cardíaca baixa, já o Ressincronizador, para pacientes com insuficiência cardíaca (quando o funcionamento normal do coração é alterado e ele não consegue ejetar quantidade suficiente de sangue para atender as necessidades do organismo). Há ainda o Cardiodesfibrilador, para pacientes com alto risco de morte súbita causada pela arritmia fatal (taquicardia ou fibrilação ventricular, quando o coração bate mais rápido, mais lento ou simplesmente fora de ritmo, respectivamente).

O Hospital Universitário Francisca Mendes é referência em cardiologia na rede pública de saúde e, consequentemente, em estimulação cardíaca. A unidade, reforça Arnez, realiza o implante dos três tipos dispositivos eletrônicos implantáveis, sendo o Ressincronizador e o Cardiodesfibrilador aparelhos de alto custo, mas disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no HUFM. “Esses procedimentos são muito importantes, pois, dependendo da finalidade do dispositivo implantado no paciente, melhora a sua qualidade de vida e aumenta a sobrevida, entre outros benefícios”, disse.

Jaime Arnez informa que o HUFM realiza implantes de dispositivos eletrônicos implantáveis cardíacos desde 2004, quando foi credenciado para realizar esse tipo de procedimento pelo Ministério da Saúde. De lá para cá, o número de implantes só aumentou. “Começamos realizando perto de 100 cirurgias por ano. Depois, passamos para em torno de 120. Hoje, fazemos mais de 200, anualmente e somos referência da região Norte para o procedimento”, declarou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here