Take a fresh look at your lifestyle.

Ex-vereador Massami Miki lamenta saída da Sony de Manaus e cobra vigilância política

-publicidade-

A saída da Sony Brasil LTDA do Polo Industrial de Manaus (PIM) e, consequentemente do Brasil, surpreendeu o meio empresarial e vai deixar mais de mil pessoas desempregadas em 2021, sendo 220 empregos diretos e 800 indiretos. A informação divulgada por meio de nota pela companhia nesta segunda-feira (14). Na opinião do ex-vereador Massami Miki, a notícia é um retrato da falta de interesse político com as empresas do PIM.

O ex-parlamentar afirma que é preciso a classe política ficar atenta aos movimentos do mercado e se antecipar a decisões como a da gigante japonesa, para evitar o fechamento de mais empresas japonesas no Polo Industrial. “A decisão da Sony em encerrar as operações em Manaus é um sinal de que as coisas não vão bem. Em minha opinião, a classe política precisa ficar atentar e proteger as companhias instaladas aqui. São muitas burocracias, impostos, falta de infraestrutura para que as empresas possam atuar em Manaus. A cada ano, só vemos as dificuldades aumentarem e pouco incentivo para que as empresas sejam mantidas”, disse Massami Miki.

Após 36 anos, a empresa japonesa comunicou que vai fechar sua única fábrica no Brasil em 2021. A Sony disse em comunicado que a fabricação de eletrônicos e a venda e distribuição nos segmentos de TVs, áudio e câmeras serão encerradas em meados do próximo ano.

“Hoje o investimento japonês é de mais de 25% no Polo Industrial de Manaus. Com vontade política, podemos sentar com todas as companhias e buscar maneiras de incentivar as empresas a se manterem aqui e proteger os milhares de empregos. O que não pode é sermos surpreendidos com notícias como essa (fechamento da Sony) sem poder fazer nada. Precisamos nos antecipar.

A companhia japonesa chegou à Cidade de Manaus em 1984, após se instalar no brasil em 1972.

-publicidade-